Grupo Prada anuncia que não usará mais couro de canguru em peças

João Pedro Malar* - O Estado de S.Paulo

Decisão foi informada a organizações de defesa dos animais e confirmada pela assessoria do grupo, que possui quatro marcas

Cangurus no Departamento de Defesa de Belconnen, na Austrália. 

Cangurus no Departamento de Defesa de Belconnen, na Austrália.  Foto: Stefan Postles / Reuters

O Grupo Prada, que reúne as marcas de roupas e acessórios Prada, Miu Miu, Church's e Car Shoe, confirmou ao Estadão nesta sexta-feira, 14, que não irá mais comprar couro de canguru para usar em suas peças. A decisão havia sido informada a princípio a uma organização de defesa dos animais.

A mudança ocorreu após um pedido realizado pela LAV, uma ONG italiana criada em 1977 e que tem o objetivo de “promover e gerar uma mudança cultural na forma como nos relacionamos com os animais”. 

A organização lançou a campanha #SAVEKANGAROOS (Salve os cangurus) como forma de incentivar empresas a abandonar a compra e uso do couro dos animais. Segundo a assessoria do Grupo Prada, foi comunicado ao LAV na segunda-feira, 10, a intenção de “não comprar novos couros de cangurus”.

Também foi informado que as marcas do Grupo Prada, conhecidas no mundo da moda, já não usam há quase um ano o material nas coleções criadas e vendidas. No lançamento da campanha a LAV destacou que o couro de canguru é usado principalmente para produzir sapatos e acessórios.

*Estagiário sob supervisão de Charlise Morais