Garota indiana processa governo por não cumprir metas contra mudanças climáticas

Redação - O Estado de S.Paulo

Menina de nove anos abriu um processo legal contra o governo indiano, que não propôs mudanças para combater efeitos do aquecimento global

Nova Délhi, a capital indiana, tem a pior qualidade do ar do país

Nova Délhi, a capital indiana, tem a pior qualidade do ar do país Foto: Adnan Abidi/Reuters

Ridhima Pandey, uma menina de 9 anos, fez um pronunciamento a partir de uma petição no tribunal destinado a questões ambientais na Índia. Ela alega que o governo falhou na implementação das leis de combate a poluição e degradação ambiental no país. A petição tem como objetivo influenciar o governo a tomar medidas efetivas que reduzam e minimizem os impactos das mudanças climáticas.

O tribunal solicitou ao ministério do Meio Ambiente e à Central de Controle de Poluição que responda ao documento em duas semanas. Em entrevista concedida à Reuters, o porta-voz do ministério do Meio Ambiente afirmou que a resposta será dada a partir da determinação do tribunal.

Rhidina não foi a primeira criança na Índia que pediu para que o governo tomasse certas atitudes em relação às mudanças climáticas. Em 2016, seis adolescentes assinaram uma petição, também do mesmo tribunal, sobre a poluição atmosférica na capital Nova Délhi, que tem a pior qualidade do ar no país. 

A Índia tem quatro das dez piores cidades para se respirar no mundo, e por isso, tem tomado algumas medidas para minimizar os efeitos dessa situação.

Rahul Choudhary, advogado de Rhidima, afirmou à Reuters que para uma pessoa tão jovem, ela está muito por dentro dessas questões ambientais e bem consciente das implicações disso em seu futuro.