Fundo Emergencial para a Saúde arrecada R$ 5 milhões em um mês para combate ao coronavírus

Camila Tuchlinski - O Estado de S.Paulo

Ação permite que pessoas contribuam para reforçar e melhorar a rede SUS; saiba como ajudar

Entrega de cestas básicas para famílias da região do Capão Redondo, em São Paulo, durante a pandemia do coronavírus, organizada pela ONG Visão Mundial.

Entrega de cestas básicas para famílias da região do Capão Redondo, em São Paulo, durante a pandemia do coronavírus, organizada pela ONG Visão Mundial. Foto: Divulgação/ONG Visão Mundial

Em um período de um mês, o Fundo Emergencial para a Saúde - Coronavírus Brasil conseguiu arrecadar o valor de R$ 5 milhões. Hoje, o fundo conta com mais de quatro mil doadores, desde pessoas físicas a empresas de todos os tamanhos e áreas de atuação.

O valor arrecadado é revertido em materiais como respiradores, testes rápidos do coronavírus, máscaras, luvas, equipamentos hospitalares para UTI entre outros itens de necessidade das instituições. 

Os beneficiados atuais são Fiocruz, Santa Casa de São Paulo, Comunitas, Hospital Santa Marcelina e Hospital São Paulo. “Este é um movimento que engaja além de empresas e grandes filantropos, a sociedade como um todo. É uma união inédita em torno da saúde pública”, explica a presidente do Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social (IDIS), Paula Fabiani. 

Apesar das doações serem de menor valor e mais pulverizadas, as doações das pessoas comuns respondem por 25% do valor captado, ultrapassando a marca de R$ 1 milhão, prova do poder de transformação da sociedade civil.  

As pessoas físicas doam, em média R$ 328,00, valor bem acima do praticado historicamente, o que demonstra o nível de engajamento da população. A doação mínima é de R$ 20, que corresponde a um teste rápido produzido pela Fiocruz.   

Doação de empresas na luta contra o novo coronavírus

A cada dia novas empresas se engajam com o Fundo, adotando diferentes modalidades. Os bancos ABC Brasil e Pactual estão promovendo ações de matchfunding com seus colaboradores, quando cada valor doado é complementado com uma doação da instituição. O Machado Meyer Advogados também optou por uma campanha junto aos funcionários. A Privalia estimula a doação em seu e-commerce e outras empresas, como a Carla Amorim, Fogo de Chão, Mixed e  Schrammek Kosmetik destinam parte da receita das vendas de seus produtos.  

Para incentivar ainda mais doações a partir de uma perspectiva otimista e mobilizar mais a sociedade civil, o Fundo lançou a campanha ‘Abrace a Saúde’ no Instagram. São fotos de abraços de quem já doou para o Fundo somando-se em uma homenagem aos profissionais da saúde e em um chamado a quem ainda não se engajou.   

“É gratificante vermos, em tão pouco tempo, tantas pessoas e empresas mobilizadas em doar pensando no próximo. Bom ver como tantos estão sendo protagonistas, engajados em participar para juntos diminuirmos os efeitos da pandemia. É muito bom ver a nossa ferramenta a serviço dessa ação nesse momento, a plataforma funcionando para o bem de todos”. Maria Eugênia Duva Gullo, cofundadora da plataforma  de doação BSocial

Famílias filantropas 

As grandes famílias de filantropos também estão nesse grupo de doadores. Muitas sempre doaram e ampliam essa atuação, estimuladas, em muitos casos, pelas novas gerações. Nomes como da Família Nobre, Olímpio Matarazzo, Setúbal, Eugênio Mattar, Safra, entre outros, estão fazendo doações importantes pela causa.  

Para Carola Matarazzo, presidente do Movimento Bem Maior, vivemos um momento bastante desafiador em todos os sentidos. “É um momento histórico, onde  temos a oportunidade de ressignificarmos o valor das relações e do dinheiro e refletirmos sobre o que fizemos até aqui, a nível coletivo e individual, e sobre o que estamos construindo para o nosso futuro e assim entender que, para além  de uma pandemia, o que temos é um inimigo em comum : o abismo social, a desigualdade”, ponderou 

Entre os apoiadores do Fundo estão Editora Mol, Harvard Alumni Club of Brazil, Instituto Apontar, Instituto Akatu, Instituto Vladimir Herzog, SindusCon-SP, Secovi-SP, Tozzini Freire Advogados e WINGS - Worldwide Initiative for Grantmaker Support. O Fundo tem gerenciamento financeiro da SITAWI, pioneira no desenvolvimento de soluções financeiras para impacto social. 

 

Para doar, acesse o site; clique aqui.

 

Para doações acima de R$ 50 mil, o doador deve entrar em contato com atendimento@bsocial.com.br