Fã cria petição online para que Mulher Maravilha seja bissexual no próximo filme

Redação - O Estado de S.Paulo

'Diana é de Temiscira, terra habitada exclusivamente por mulheres. Isso já é razão suficiente para confirmar sua sexualidade', justifica Gianna Coller, criadora do abaixo-assinado

Gal Galdot como Princesa Diana em 'Mulher Maravilha' (2017).

Gal Galdot como Princesa Diana em 'Mulher Maravilha' (2017). Foto: Alex Bailey/Warner Bros/Divulgação

Mulher Maravilha foi um recorde de público nos cinemas mundiais e um marco nos filmes baseados em histórias em quadrinhos de heróis ao levar representatividade as mulheres. Agora, alguns fãs da personagem da D.C. Comics querem que ela seja bissexual no próximo filme e criaram um abaixo-assinado online para isso.

"A possibilidade de a Mulher Maravilha ser bissexual tem sido discutida há anos, desde os quadrinhos. O escritor da Mulher Maravilha: Renascimento, Greg Rucka, declarou que 'Diana já se apaixonou e já se relacionou com outras mulheres', então por que é tão difícil levar isso para a tela do cinema? A princesa Diana é de Temiscira, terra de amazonas e habitada exclusivamente por mulheres. Isso já serve como uma razão suficiente para confirmar sua sexualidade, até porque qualquer relacionamento antes de sua história com Steve Trevor só pode ter sido com uma mulher", justifica Gianna Collier, autora da petição, que é formada em cinema.

O manifesto, feito no site Change.org, já conta com mais de 3 mil assinaturas - a meta é 5 mil. "Alguns de vocês podem estar pensando que isso não faz diferença alguma mas, para pessoas como eu, que raramente se veem refletidas na mídia, acredite: faz diferença sim", continuou.

A jovem disse que uma das primeiras coisas que aprendeu na faculdade de cinema é que a representatividade é "poder", principalmente na sociedade atual, tão influenciada pelas redes sociais e tecnologias. "Nos filmes e na TV, nós somos hiperssexualizados e pouco representados. Nós somos chamados de pessoas confusas. Fazer da Mulher Maravilha uma bissexual no cinema faria dela a primeira super-heroína de todos os gêneros abertamente LGBT, e solidificaria seu lugar como modelo para mulheres de todas as idades e identidades", completou a autora da petição.