Eutanásia com tiros em animais em Brumadinho foi técnica, diz conselho veterinário

Redação - O Estado de S.Paulo

Em contrapartida, equipe conseguiu resgatar 36 animais na região e que já estão sob cuidados de especialistas

Eutanásia em animais vítimas da queda de barragem em Brumadinho obedeceu critérios técnicos, de acordo com CFMV. 

Eutanásia em animais vítimas da queda de barragem em Brumadinho obedeceu critérios técnicos, de acordo com CFMV.  Foto: WILTON JUNIOR/ ESTADAO

Após a queda da barragem em Brumadinho, além da triste realidade das vítimas e familiares da tragédia, diversos animais morreram ou ficaram à deriva em meio à lama que cobriu a região.

Nesta terça-feira, 29, animais em área de risco foram mortos por agentes na região. A apresentadora Luisa Mell publicou, nas redes sociais, um vídeo criticando a situação. "Não há eutanásia em cima de um helicóptero, atirando, isso é assassinato", declarou.

De acordo com o Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV), uma vaca e um cavalo, que estavam atolados há quatro dias em um local de difícil acesso, tiveram de ser abatidos por meio de rifle sanitário nesta segunda-feira, 28.

Os animais estavam em um lugar sem condições de segurança para serem içados, presos em uma área de risco aos socorristas e sem possibilidade de acesso para intervenção de outra técnica de eutanásia.

Ainda de acordo com o CFMV, com base na resolução nº 1000/2012, a decisão da equipe envolvida foi estritamente técnica, uma vez que os animais já estavam debilitados, desidratados e em sofrimento. A eutanásia animal pode ser indicada quando o "bem-estar do animal estiver comprometido de forma irreversível, sendo um meio de eliminar a dor ou o sofrimento, os quais não podem ser controlados por meio de analgésicos, de sedativos ou de outros tratamentos".

Em nota, o Conselho Federal de Medicina Veterinária explica que a escolha do método dependerá da espécie envolvida, da idade e do estado fisiológico dos animais, bem como dos meios disponíveis para a contenção.

O CFMV reitera que o momento é delicado e que requer uma deliberação profissional complexa, envolvendo preceitos técnicos e éticos. Realizar a eutanásia é uma decisão difícil para os veterinários, que escolheram a profissão por amor aos animais.

A equipe do CFMV de Minas Gerais que está em Brumadinho atuou no resgate em 2015, após o rompimento da barragem em Mariana. Até esta quarta-feira, 30, 36 animais foram salvos em Brumadinho. Segundo a Brigada Animal, eles foram encaminhados para uma fazenda, onde passam por triagem e recebem os primeiros tratamentos.