Estudantes criticam escola australiana por ensiná-las a andar de salto alto

Redação - O Estado de S.Paulo

Alunas acreditam que a atividade é 'degradante e sexista'

Meninas tiveram de levar sapatos de salto para atividade escolar na Austrália.

Meninas tiveram de levar sapatos de salto para atividade escolar na Austrália. Foto: Pixabay

Alunas do Girton Grammar, um prestigiado colégio no Estado de Victoria, na Austrália, acusam o colégio de sexismo após terem aulas de como andar de salto alto. De acordo com o site Herald Sun, as aulas faziam parte de uma oficina de preparação para a vida adulta, em que ainda aprenderam técnicas de comportamento e apresentação.

As meninas, porém, não gostaram da atividade e enviaram uma carta ao jornal criticando a escola. "Não estamos em 1950, e sim em 2017. Por um lado, eles esperam que tiremos boas notas em matemática e ciência, como os meninos. Por outro, solicitam que nós levemos saltos para a escola, para que possamos aprender a andar neles. É degradante e sexista", diz um coletivo de meninas na carta.

"[As aulas] mostram estereótipos de gênero no mundo corporativo, em que mulheres são objetos decorativos andando por aí com saltos altos. Nem todas as mulheres se sentem confortáveis usando salto e elas não deveriam ter de usá-los", completam as meninas.

O diretor da escola, Matthew Maruff, disse que as aulas de como andar de salto alto eram opcionais e não faziam parte da atividade em si. "Como em todas as vezes, nós encorajamos nossos alunos a falar respeitosamente sobre qualquer coisa que os incomode", disse ele ao Herald Sun. "Estamos muito felizes que duas alunas nos disseram que se sentiram desconfortáveis levando saltos para a escola como parte de uma aula de etiqueta moderna", completou.

 

RELEMBRE: Cinco vezes em que as vestimentas das mulheres viraram assunto de debate