Escultura em Veneza chama a atenção para o aquecimento global

Redação - O Estado de S.Paulo

Obra de Lorenzo Quinn, que ficará exposta na cidade até novembro, consiste em mãos gigantes que seguram paredes de hotel próximo ao Grande Canal

Obra de Lorenzo Quinn, no Grande Canal de Veneza.

Obra de Lorenzo Quinn, no Grande Canal de Veneza. Foto: REUTERS/Stefano Rellandini

A cidade de Veneza, na Itália, famosa por seus canais e rios, é um dos locais que correm o risco de ficar debaixo d'água no futuro por conta do aquecimento global e do aumento do nível do mar. Pensando nisso, o artista Lorenzo Quinn fez uma obra para chamar a atenção para essa ameaça.

Sua nova escultura na cidade, Support (Apoio, em tradução livre), foi inaugurada no último sábado, 13, no histórico hotel Ca' Sagredo e ficará exposa durante toda a 57ª Bienal de Veneza, que vai até 26 de novembro. A obra consiste em duas mãos enormes, que saem do Grande Canal e seguram as paredes do hotel, como se ele fosse cair.

"Eu tenho três filhos, e estou pensando sobre a geração deles e que mundo nós vamos deixar-lhes. Eu estou preocupado, estou muito preocupado", disse Quinn numa coletiva de imprensa. Ainda segundo Quinn, a escultura é um chamado para ação, direcionado a cientistas, políticos e cidadãos preocupados com as mudanças de clima causadas pelos seres humanos e seus impactos na comunidade e no meio-ambiente.

Escultura alerta para o aumento do nível do mar, causado pelo aquecimento global. 

Escultura alerta para o aumento do nível do mar, causado pelo aquecimento global.  Foto: REUTERS/Stefano Rellandini