Escultor do ‘Touro de Wall Street’ faz crítica à estátua ‘Fearless Girl’

Redação - O Estado de S.Paulo

O artista alega que a escultura da menina viola os seus direitos autorais

Artista plástico que fez o 'Touro de Wall Street' fez duras críticas à estátua 'Fearless Girl'

Artista plástico que fez o 'Touro de Wall Street' fez duras críticas à estátua 'Fearless Girl' Foto: Reuters / Brendan McDermid

Em coletiva de imprensa realizada na última quarta-feira, 12, o artista plástico Arturo Di Modica, que criou a estátua do Touro de Wall Street em 1989, criticou a estátua da Fearless Girl, colocada em frente ao touro no Dia Internacional da Mulher como uma forma de criticar o machismo que existe no mercado financeiro.

Di Modica falou que a estátua foi colocada na praça sem sua autorização e que isso viola seus direitos autorais, pois subverteu o sentido original do touro. “O touro representa a liberdade no mundo, paz, força, poder e amor. A estátua da garota transformou a minha obra em algo negativo”, disse na coletiva. Os advogados do artista pretendem entrar com um processo para a retirada da estátua da menina.

A State Street Global, empresa que encomendou e colocou a Fearless Girl na praça Bowling Green, em Nova York, respondeu às críticas em um comunicado. “Nós agradecemos o apoio contínuo da cidade de Nova York e das pessoas ao redor do mundo que defendem o que a ‘Fearless Girl’ representa - o poder e o potencial que as mulheres podem ter no mercado financeiro”.