Escola é acusada de racismo por foto de menina sendo segurada por cordas

Redação - O Estado de S.Paulo

A instituição disse que a foto foi tirada do contexto e não está relacionada à escravidão

Escola de Massachussets, nos EUA, foi acusada de racismo após foto de alunos circular nas redes sociais. Imagem ilustrativa.

Escola de Massachussets, nos EUA, foi acusada de racismo após foto de alunos circular nas redes sociais. Imagem ilustrativa. Foto: Pixabay

Uma foto tirada na Escola Primária Mitchell, em Bridgewater, Massachussets, nos Estados Unidos, gerou muitas críticas nas redes sociais. A foto foi tirada durante uma aula sobre os peregrinos, mas foi interpretada como uma ação racista.

Na imagem, uma menina negra está em frente a dois colegas, que as seguram por meio de duas cordas. Nas redes sociais, a imagem foi atrelada à escravidão, porém, a escola explicou a que a foto foi tirada do contexto, de acordo com a CBS.

As tiras que seguram a menina são, na verdade, chamadas de 'tiras para guiar', usadas no século 17 para evitar que as crianças fugissem ou para ensiná-las a andar. Segundo a escola, a menina se ofereceu para participar da atividade.

A mãe de um dos alunos, Andrea St. Clare, ficou chocada quando viu a foto. "Parece que ela está sendo escravizada. Nesse caso, a cor dela não tem nada a ver", falou ela à CBS.

O diretor da instituição, Derek Swenson, enviou um comunicado dizendo que "nunca foi a intenção degradar nenhuma pessoa ou grupo. A escola pede desculpas aos estudantes, funcionários e comunidade por esse incidente infeliz".

Alguns pais disseram que a atividade poderia ter sido melhor planejada. "Eu não imagino que alguém quis ofender, mas o fato é que alguém não pensou direito", disse uma mãe que buscava seus filhos na escola.