Doações de alimentos para moradores de rua são penduradas em árvores para evitar contato

João Pedro Malar* - O Estado de S.Paulo

A iniciativa é do projeto Juntos para o Bem, que atua em Limeira, no interior de São Paulo, e ajuda pessoas em situação de rua e famílias carentes

Os voluntários penduram sacolas com alimentos diariamente

Os voluntários penduram sacolas com alimentos diariamente Foto: Todos para o Bem / Divulgação

O projeto social Juntos para o Bem, que atua há seis anos na cidade de Limeira, em São Paulo, precisou se adaptar em meio à pandemia do novo coronavírus. Para continuar a fornecer alimentos para pessoas em situação de rua e evitar contato físico, o grupo agora pendura alimentos em árvores.

O grupo formado por 30 voluntários e colaboradores foi formado após uma iniciativa da comerciante Gislaine de Oliveira Honorato, que reuniu um grupo de amigas para ajudar famílias carentes em um assentamento na cidade. Seis anos depois, o grupo segue ajudando 17 famílias carentes e entrega, semanalmente, comida para moradores de rua.

“Devido ao coronavírus, nós criamos estratégias para alimentá-los sem ter contato”, explica Gislaine. Ela já havia colocado roupas em uma árvore em frente a sua loja antes, e decidiu repetir a ideia, agora colocando alimentos diariamente, às 19 horas. Na terça-feira, 31, por exemplo, foram colocados 50 sacos, cada um com um lanche, e todos foram coletados.

Gislaine comenta que a demanda pela comida aumentou, mas que também notou um aumento na quantidade de doações que tem recebido. “É um momento delicado, mas eu acho que está tendo bastante visão voltada para a solidariedade, como eu nunca havia visto antes, e isso está ajudando. As pessoas estão olhando para o outro”, comenta a comerciante.

Os alimentos são colocados com sacolas com mensagens positivas para os moradores de rua

Os alimentos são colocados com sacolas com mensagens positivas para os moradores de rua Foto: Todos para o Bem / Divulgação

Para Entender

Coronavírus: veja o que já se sabe sobre a doença

Doença está deixando vítimas na Ásia e já foi diagnosticada em outros continentes; Organização Mundial da Saúde está em alerta para evitar epidemia

Os interessados em doar devem entrar em contato com o grupo pelo Facebook ou pelo telefone (19) 99204-8479. Gislaine reforça que as ações do projeto tentam despertar nas pessoas o desejo de ajudar o próximo. “Que isso sirva de exemplo para que as pessoas façam a diferença e ajudem o outro”, destaca ela.

*Estagiário sob supervisão de Charlise Morais

Receba no seu email as principais notícias do dia sobre o coronavírus