Companhia de balé faz apresentações em semáforos na Cidade do México

Redação - O Estado de S.Paulo

O objetivo é acalmar os motoristas do estresse que é dirigir na maior cidade da América Latina

Uma companhia de balé mexicana se apresenta em semáforos na Cidade do México como forma de diminuir o estresse dos motoristas no trânsito

Uma companhia de balé mexicana se apresenta em semáforos na Cidade do México como forma de diminuir o estresse dos motoristas no trânsito Foto: Emilio Espejel/AP

A companhia de balé Ardentia, da Cidade do México, capital do México, teve uma ideia curiosa para tentar acalmar as pessoas que ficam no trânsito da maior cidade da América Latina: fazer apresentações curtas, de menos de um minuto, enquanto o semáforo está fechado.

A iniciativa começou há duas semanas e se tornou atração em um bairro no noroeste da capital mexicana, atraindo um público que fica nas ruas esperando ver a companhia performar desde clássicos como O Quebra-Nozes, do compositor russo Tchaikovsky, até Rock With Me, de Michael Jackson.

As apresentações ocorrem em um bairro no noroeste da capital mexicana e atraíram também a atenção dos pedestres

As apresentações ocorrem em um bairro no noroeste da capital mexicana e atraíram também a atenção dos pedestres Foto: Emilio Espejel/AP

“Nós nunca pensamos que teria esse tipo de impacto”, disse a bailarina Manuela Ospina Castro, para a agência Associated Press. “Não só as pessoas estão aceitando isso, mas estão precisando disso. A população precisa desse tipo de atividade para chegar perto das artes”, continuou.

Um levantamento feito pela empresa de geolocalização TomTom, em 2017, apontou que a Cidade do México tem o pior trânsito do planeta, com as ruas ficando congestionadas em média 66% do dia. “É ótimo para as famílias terem a oportunidade de vê-los se apresentando nas ruas”, disse a aposentada Remedio Rosas para a agência.

A companhia apresenta desde clássicos, como as obras do russo Tchaikovsky, até músicas contemporâneas de Michael Jackson

A companhia apresenta desde clássicos, como as obras do russo Tchaikovsky, até músicas contemporâneas de Michael Jackson Foto: Emilio Espejel/AP