Como transportar animais de estimação em segurança durante passeios e viagens?

Camila Tuchlinski - O Estado de S.Paulo

Número de infrações em São Paulo por transporte de cachorro e gato cresceu mais de 10% em 2018

É preciso tomar cuidado ao transportar o pet durante as viagens.

É preciso tomar cuidado ao transportar o pet durante as viagens. Foto: Pixabay

Quando passeiam de carro, os cachorros normalmente gostam de colocar a cabeça para fora da janela, sentir o vento nos pelos e latir para todos que aparecem durante a viagem. Mas você sabia que existe uma maneira adequada para fazer o transporte de animais nos veículos?

Regras para transporte de animais de estimação

A utilização dos itens básicos de segurança é obrigatória e o bichinho de estimação não pode ser transportado, por exemplo, no lado esquerdo e nem no colo do motorista. Colocar o focinho para fora também está fora de questão.

"Os pets podem distrair o motorista e provocar acidentes, podem se machucar em freadas bruscas e, caso as janelas dos carros estejam abertas, pular com o veículo em movimento", alerta a veterinária Karina Mussolino, da Petz, rede de pet shops.

O Código de Trânsito Brasileiro prevê o transporte de animais na caçamba de carro aberto como infração grave, com perda de cinco pontos na CNH e multa de R$ 195,23. O veículo também pode ser apreendido em flagrante. Já quem dirige com o pet à esquerda ou entre as pernas do condutor comete infração média, com perda de quatro pontos e multa de R$ 130,16. A legislação considera infração leve a distração que o animal pode causar ao motorista, com multa de R$ 88,38, com três pontos na carteira de habilitação.

O número de infrações em São Paulo por transporte irregular de pets cresceu 10% em 2018.

O número de infrações em São Paulo por transporte irregular de pets cresceu 10% em 2018. Foto: Pixabay

Depois de tantas regras na legislação para o transporte de animais de estimação, como viajar em segurança? A equipe do E+ ouviu especialistas e relacionou uma série de recomendações para você.

Viagem sem turbulência

É preciso escolher o equipamento de segurança de acordo com o porte físico e o comportamento do pet. Para o transporte de cachorro é preciso considerar que os cães de grande porte, por exemplo, ficam confortáveis com o cinto de segurança do peitoral. As fivelas e os assentos são indicados para os cães de porte médio ou pequeno. 

Já para o transporte de gatos é preciso lembrar que os felinos são animais que se assustam com maior facilidade, então o ideal é que passeiem dentro das caixas de transporte. Os pequenos pets, como roedores, também precisam de cuidados e há opções de guias e caixas para transportá-los com segurança.

Focinhos devem ficar longe da janela no transporte de animais

Os animais podem ficar com inflamação auditiva ou úlceras de córnea ao pegar muito vento na janela dos carros. Para o pet não sofrer tanto com o calor, basta ligar o ar condicionado ou abaixar um pouco mais os vidros do veículo, mas não deixar o cachorro colocar o focinho para fora.

Prevenção de enjoos e mal-estar

Muitos pets podem apresentar enjoo provocado pelo movimento do carro durante o trajeto. Para isso, há produtos específicos, como os palitos que garantem tranquilidade e uma boa viagem, mas sempre é importante procurar o veterinário para as orientações necessárias antes do transporte de animais de estimação.