Como funcionam os sonhos lúcidos

Luiza Pollo - O Estado de S.Paulo

Tem certeza de que você não está sonhando agora?

  

   Foto: Reprodução/Pixabay

Como saber se estamos sonhando ou se estamos acordados? Durante o sono, cenas absurdas parecem totalmente verídicas e, infelizmente, ainda não comprovamos a eficácia de totens como o de Leo DiCaprio no filme A Origem.

Enquanto isso, o máximo que dá para fazer é torcer - e treinar um pouquinho - para ter a sorte de experimentar um sonho lúcido. Na verdade, é bem provável que você já tenha tido um. Segundo uma pesquisa do professor Sérgio Arthuro Rolim, pesquisador em sono e sonhos pela UFRN, em parceria com três pesquisadores alemães, 75% das pessoas já tiveram um sonho lúcido.

No entanto, normalmente o sonho acaba assim que a consciência começa. Você percebe que está sonhando e, logo em seguida, acorda. Segundo Rolim, isso acontece porque o sonho lúcido seria quase como uma ‘nova’ fase do sono.

Até a metade da noite, normalmente passamos por três fases. A primeira, conhecida como sonolência ou sono de transição, seria quando estamos adormecendo, ainda acordados. Na segunda - o sono superficial - já estamos dormindo. A terceira seria o sono profundo. “É quando o cérebro está realmente descansando, e por isso é a parte mais importante do sono. Quase não sonhamos nessa fase e é mais difícil de despertar”, explica Rolim. Na quarta, voltamos lentamente à consciência, e é nesse momento que sonhamos.

O sonho lúcido, portanto, seria um nível ainda maior de percepção, intermediário entre a quarta fase e a vigília. “A definição clássica é ‘saber que você está sonhando durante o sonho’. No conceito mais moderno, os cientistas acreditam que existe uma gradação de lucidez”, explica o pesquisador. No ‘grau máximo’ de lucidez do sonho, é possível controlá-lo.

Há técnicas para treinar o cérebro e tentar induzir sonhos lúcidos, mas não funcionam da mesma forma para todos. “Uma delas é colocar o despertador para uma hora mais cedo. Você vai acordar da fase REM (Rapid Eye Movement, em inglês), que é relacionada com o sonho”, explica Rolim. “A pessoa precisa ficar na cama, sem se mexer muito, e passar um tempo pensando em ter um sonho lúcido. Depois, volta a dormir.” Apesar de não funcionar para todos, não custa tentar.

Alguns especialistas sugerem manter um diário e anotar os sonhos todos os dias, logo depois de acordar. Outras técnicas sugerem conferir alguns padrões à sua volta várias vezes ao dia - por exemplo, olhar as horas e conferir alguns segundos depois se os ponteiros continuam no mesmo lugar. A ideia é que, no sonho, você repetiria essa conferência e perceberia que as coisas não fazem sentido.

Vale testar cada técnica por algum tempo antes de desistir, mas lembre-se que a habilidade de ter sonhos lúcidos varia muito entre as pessoas. Veja mais algumas opções de ‘treinamento’ neste vídeo: