Com ajuda de voluntários, advogados constroem casa de mulher que foi despejada após morte do marido

Redação - O Estado de S.Paulo

Claudete foi casada por 20 anos e morava em uma residência que pertencia aos filhos do marido - após sua morte, os filhos pediram o imóvel de volta

Claudete em seu imóvel. Na época, apenas algumas paredes haviam sido levantadas.

Claudete em seu imóvel. Na época, apenas algumas paredes haviam sido levantadas. Foto: Cedida por Tales Cardoso

Claudete Fernandes é uma senhora de 59 anos que vive em Sorocaba (SP). Ela foi casada por 20 anos e, quando seu parceiro morreu, se iniciou um pesadelo em sua vida. O casal morava em uma casa que pertencia aos filhos do homem, fruto do relacionamento com outra mulher. Quando ele morreu, os filhos pediram a casa de volta.

O caso aconteceu em 2016 e Hélen Garbim e Tales Cardoso, que atuam também na Defensoria Pública da cidade, foram nomeados advogados da mulher. Os filhos ganharam o direito à casa na Justiça e Claudete foi despejada. Entretanto, ver a mulher ficar sem casa tocou o coração dos advogados, que decidiram ajudar de outra maneira.

"A senhora Claudete vive com aproximadamente R$ 600, da pensão por morte de seu falecido esposo. Gasta quase toda a sua renda com medicamentos e se alimenta com a ajuda dos vizinhos. Ela é portadora de epilepsia, pressão alta, diabete e só possui 20% da visão", contou Hélen em um post no Facebook em maio deste ano.

Claudete já possuía um imóvel próprio na cidade, mas o local contava apenas com algumas paredes, já que ele não tinha dinheiro para terminar a construção. Por isso, Hélen e Tales resolveram pedir doações para colocar a casa em pé.

"Como advogados, infelizmente, não temos mais o que fazer. O direito dos filhos do falecido marido é inquestionável. Mas, como seres humanos, abraçamos essa causa. Decidimos que iremos ajudar Claudete a terminar seu imóvel para que tenha um teto para morar só que, para tanto, precisamos da ajuda de vocês. A casa precisa de laje, telhado, contrapiso, reboco, pintura, parte elétrica e hidráulica. Aceitamos doações em material de construção ou dinheiro. Tudo terá nota fiscal, recibo e fotos para mostrarmos o que está sendo feito", disseram os advogados na publicação.

E aí começou uma campanha, não apenas nas redes sociais, mas com cartazes na cidade e venda de rifas no escritório. Felizmente, a atitude de Hélen e Tales gerou um bom resultado e as pessoas começaram doar dinheiro, materiais de construção e serviços. Desde então,os advogados fazem publicações frequentes para atualizar os seguidores sobre o estado da obra, os valores que gastaram e pedem os valores que ainda precisariam para a conclusão da obra.

Em alguns dias, houve um mutirão de moradores de Sorocaba para ajudar a construir e levar materiais. A publicação mais recente, de 15 de agosto, mostra que a obra já está em fase final: a casa já tem sistema hidráulico e elétrico, telhado, portas, janelas e reboco, faltando apenas a pintura e a concretagem da calçada. Se conseguirem doações suficientes, eles pretendem instalar um forro de PVC na casa.

Tales e Hélen esperam que a casa fique pronta até o dia 15 de setembro, ou, no máximo, em 15 dias. Quando a residência ficar pronta, os advogados vão chamar todos os que ajudaram para acompanhar a entrega para Claudete. É possível fazer doações pessoalmente, no escritório dos advogados, ou por meio de depósito em conta. Mais informações podem ser encontradas nas publicações do Facebook.