Com a ambição de se tornarem influenciadores, perfis investem em anúncios nas redes sociais

Anita Efraim - Especial para O Estado de S. Paulo

Facebook e Instagram têm ferramentas para atingir um público específico, que combine com o tema do perfil

Para conseguir seguidores, é preciso ter conteúdo relevante

Para conseguir seguidores, é preciso ter conteúdo relevante Foto: Pixabay

Já virou rotina ver anúncios no feed de notícias das redes sociais. Discretos, eles se passam por posts comuns - com a diferença do aviso "patrocinado" e do botão "comprar agora". No começo, os anúncios eram de lojas ou páginas que divulgavam serviços. O que é novidade é que, agora, pessoas usam os recursos de anúncios do Facebook e do Instagram para ficarem famosas na internet.

A tendência é querer ser influenciador digital, ter muitos seguidores nas redes sociais e fazer de si mesmo a sua carreira. Como em qualquer outro empreendimento, as pessoas estão investindo nisso.

Fernando Souza, consultor e professor de marketing digital na São Paulo Digital School, explica que há dois tipos de investimentos que os aspirantes a influenciadores digitais podem fazer: "Têm pessoas que estão começando e querem ganhar conhecimento, que impulsionam post, e as pessoas que compram a visibilidade que não é tão ética, por exemplo, a compra de fãs".

Em eleições é comum haver suspeitas de candidatos que compram perfis falsos para apoiá-los e para impressionar com o número de seguidores. "Eu costumo brincar que é uma métrica de vaidade, a pessoa tem um número e um leigo que vê esse número alto julga que é uma pessoa influente e acaba seguindo", explica Souza. Apesar de isso gerar certa visibilidade para os novos influenciadores, é algo insustentável, porque ele não tem um público sólido.

Uma característica dos influenciadores digitais é que eles têm um nicho específico

Uma característica dos influenciadores digitais é que eles têm um nicho específico Foto: Reprodução/ Instagram

Na visão do especialista, investir em posts e patrocinar seu perfil de maneira lícita e ética não é um problema, mas é preciso ter certos cuidados. O primeiro deles é identificar qual seu ponto forte, sobre o que a pessoa pode falar. "Uma das características do influenciador é que ele atinge um nicho, então, precisa ter propriedade para falar", aconselha.

As redes sociais têm ferramentas que ajudam a atingir um público específico. Assim, uma página de moda que patrocina seus posts consegue direcionar os anúncios a quem já tem interesse pelo tema, por exemplo.

Outro ponto importante é avaliar qual o melhor modo de se expressar: "Saber no que ela é melhor, se é na frente de uma câmera, na escrita ou com fotos. Acho que se conhecer aí é um ponto importante".

Souza alerta que é preciso ter cuidado com o conteúdo, afinal, quem investe sem ter relevância não consegue engatar como influenciador. Ou seja: pagar pela visibilidade do perfil sem dizer algo que possa interessar é desperdiçar dinheiro.

"Esses youtubers e digital influencers que temos hoje com certeza tinham um diferencial no conteúdo para gerar visibilidade", diz o professor.

Mesmo fazendo tudo de forma correta, investir em posts patrocinados não é a fórmula do sucesso para se tornar famoso na internet, porque é comum que as pessoas tenham certa aversão a publicidade em suas redes sociais. Na opinião de Souza, as formas de reverter essa situação são cativar as pessoas e criar conteúdo relevante.