Parada do Orgulho LGBT: Casais vão oficializar união no dia do evento

Redação - O Estado de S.Paulo

Ação ocorre em um cartório pop-up antes do início da comemoração

Cinco casais vão oficializar a união no dia da Parada do Orgulho LGBT em São Paulo (imagem ilustrativa).

Cinco casais vão oficializar a união no dia da Parada do Orgulho LGBT em São Paulo (imagem ilustrativa). Foto: Chrysostomos Galathris/Pexels

A 23ª Parada do Orgulho LGBT terá um motivo a mais de comemoração para cinco casais que vão oficializar a união gratuitamente no dia do evento, que ocorre em 23 de junho em São Paulo.

Um cartório pop-up inédito será montado em uma unidade da WeWork e as celebrações serão realizadas antes do início da parada. A ação foi idealizada e desenvolvida pelas startups POPSPACES e The Next H.

Após o casamento no civil, os casais vão festejar o momento em cima de um trio elétrico com as três milhões de pessoas que são esperadas para o evento.

Claudio Ferreira e Davysson Jordan, um dos casais que participarão da iniciativa, se conheceram em um aplicativo de relacionamentos. Na mesma semana, marcaram o primeiro encontro e, dois meses depois, Jordan se mudou para a casa do companheiro, que mora com a mãe.

"Desde então, tem sido incrível. A gente se dá muito bem e a convivência fortaleceu a nossa relação", conta Ferreira. "Quando vi a ação da maior festa de casamento do mundo na internet, achei que seria a melhor oportunidade de mostrar o nosso amor e de mostrar para todo mundo como é importante amar e vencer", completa.

Nayda Rodrigues e Jaqueline Santos, que também se casarão no cartório pop-up, estão juntas há sete anos. "Nos conhecemos na faculdade. Eu tinha acabado de me assumir lésbica e estava naquele caos que é se assumir para a família. Ela me ajudou muito. Moramos juntas há quatro anos", conta Nayda.

Realizada em parceria com a Associação Organizadora da Parada do Orgulho LGBT, a Maior Festa de Casamento do Mundo foi criada para exaltar o amor e afirmar a importância de legalizar as uniões homoafetivas para que o casal possa ter o mesmo direito que qualquer outro núcleo familiar, como direitos previdenciários, patrimoniais e até mesmo à adoção.