Campanha da ONU Meio Ambiente alerta população sobre poluição das águas

Redação - O Estado de S.Paulo

Ensaios fotográficos usam força sobrenatural relacionada aos rios para fazer apelo

Poluição da água é o tema da campanha 'Rios Limpos para Mares Limpos'.

Poluição da água é o tema da campanha 'Rios Limpos para Mares Limpos'. Foto: Rodrigo Tomzhinsky / 'Rios Limpos para Mares Limpos' / Divulgação

Organizada pela Organização das Nações Unidas (ONU) Meio Ambiente em parceria com a Fundação Amazonas Sustentável (FAS), a campanha 'Rios Limpos para Mares Limpos' pretende sensibilizar a população a mudar o hábito de jogar lixo dentro de cursos d'água.

A campanha artística foi fotografada por Bruno Kelly, Rodrigo Tomzhinsky, Maiara Gonçalves e Matheus Belém. Em frente às câmeras, quatro modelos ativistas encarnaram seres místicos da Amazônia: Mayra Dias, a Miss Brasil 2018; Victor Fasano, ator e ambientalista; Uýra Sodoma, drag queen e performer; e Izolena Garrido, professora e líder ribeirinha.

Segundo os idealizadores da campanha, o objetivo é usar a força sobrenatural relacionada aos rios para fazer um apelo contra a poluição e morte das águas. As fotos foram produzidas em locais onde há poluição, como igarapés urbanos de Manaus e em praias de comunidades ribeirinhas.

O Dia Mundial dos Rios, celebrado em 30 de setembro, foi o ponto de partida para o projeto. O ensaio fotográfico de abertura foi estrelado por Victor Fasano, que representou a Cobra Honorato, lenda comum no norte do País. As fotos foram feitas por Rodrigo Tomzhinsky em uma ilha dentro da comunidade Tiririca, no município de Novo Airão, no Amazonas.

Victor Fasano foi fotografado por Rodrigo Tomzhinsky.

Victor Fasano foi fotografado por Rodrigo Tomzhinsky. Foto: Rodrigo Tomzhinsky / 'Rios Limpos para Mares Limpos' / Divulgação

Nos próximos três finais de semana de outubro, um novo ensaio será lançado para compor a campanha. A vencedora do concurso Miss Brasil 2018, Mayra Dias, foi fotografada por Bruno Kelly na Praia do Iluminado, onde encarnou a Ninfa do Rio Negro. A drag queen Uýra Sodoma, vivida pelo biólogo Emerson Pontes, simboliza o caos trazido pelo lixo despejado nos igarapés. Foi fotografada no igarapé urbano do São Jorge, em Manaus, sob as lentes de Matheus Belém. E, por fim, a líder comunitária Izolena Garrido deu vida à Mãe D'Água às margens do Rio Negro por Maiara Gonçalves.