Cães têm ciúmes com a chegada de um ‘rival’ na casa? Saiba como ajudar

Camila Tuchlinski - O Estado de S.Paulo

Animal pode se sentir rejeitado com um novo cachorrinho ou o nascimento de um bebê

Cachorros podem sofrer ao ter de dividir atenção com outro pet.

Cachorros podem sofrer ao ter de dividir atenção com outro pet. Foto: Pixabay

É possível afirmar que os cães sentem ciúme? Inúmeras pesquisas estão sendo realizadas em todo o mundo. Algumas dão indícios de que é possível observar características de emoções humanas em animais. 

Um recente estudo da Universidade Eötvös Loránd, na Hungria, revela que os cães são capazes de experimentar esse sentimento como uma criança de dois anos de idade. Os animais, assim como os pequenos humanos, sentem necessidade de chamar atenção. A pesquisa foi feita com 24 cachorros que observaram o contato de seus donos com outros animais e objetos. Segundo os estudiosos, o ápice do ‘ciúme’ ficou evidente quando a interação do tutor acontecia com outro cão. 

Apesar da diversidade de pesquisas, a maioria dos especialistas concorda que é muito difícil atribuir sentimento humano, como o ciúme, a um cachorro. Ao mesmo tempo, do ponto de vista psíquico, a sensação de rejeição de uma pessoa que tem ciúme patológico é muito semelhante a que expressa um cãozinho com a chegada de um ‘rival’ em casa, seja outro pet ou o nascimento de um bebê.  

Comportamentos e expressões, como o olhar do cão, podem revelar sentimento de 'rejeição'.

Comportamentos e expressões, como o olhar do cão, podem revelar sentimento de 'rejeição'. Foto: Pixabay

Ricardo Assunção, sócio-proprietário da Ossos do Ofício, creche e hotel para cães em São Paulo, vê de perto essa realidade. “Aqui, você faz carinho em um, tem que fazer carinho em todos, senão, eles não largam do seu pé. Se sentem meio rejeitados, não sei se um sentimento de posse. A gente não consegue atribuir um sentimento a um cachorro, estaríamos humanizando um animal”, avalia.

O mestre em comportamento animal Fausto Assumpção Fernandes, doutorando em Comportamento Canino pela Veterinária da Universidade de São Paulo, concorda e vai além: “Ainda não é possível dizer que os cães têm ciúmes. O que as pesquisas mais recentes mostram é que eles têm subsídios para esse sentimento, isso é, demonstram algumas características como aumento da agressividade quando percebem o dono alimentando outro cão. Porém, ainda não se pode afirmar categoricamente que isso seja um ciúmes como demonstrado em humanos”.

E com a chegada de um ‘irmãozinho’ na casa, o ‘cão anfitrião’ terá de dividir atenção de seus donos. “O cachorro sente quando chega um outro cãozinho, na visão dele, tem que dividir a atenção e recebe menos atenção. E quando os dois vem para a creche, deixam de ficar na matilha a dois para uma matilha maior”, afirma Ricardo Assunção, da creche Ossos do Ofício. 

Ele ressalta que o comportamento dos cães também muda ao ser inserido em um grupo maior: “É como quando você sai em um restaurante com uma amiga e, depois, no show com amigos. O comportamento muda. Por vezes, esse cão vem para a creche e aí a gente tenta trabalhar a socialização. Quando ele socializa, gasta energia e volta para casa entendendo melhor a relação dele com o outro animal”.

Cães recebem carinho enquanto brincam na creche 'Ossos do Ofício', na Vila Mariana, em São Paulo.

Cães recebem carinho enquanto brincam na creche 'Ossos do Ofício', na Vila Mariana, em São Paulo. Foto: Divulgação/Ossos do Ofício

E a chegada de um bebê em casa pode ‘ameaçar’ o cão? “Sim, vai depender de como esse novo membro for apresentado. Porém, o possível aumento de agressividade pode estar mais relacionado ao 'sentimento' de posse do que ao ciúmes propriamente dito”, analisa Fausto Assumpção Fernandes. O mestre em comportamento animal explica que um olhar diferente do cão quando vê o bebê pode evoluir para um rosnado e até mesmo uma agressão. Tudo vai depender da forma como a apresentação entre o pet e a criança é feita.

Bebês e cachorros devem ser apresentados cuidadosamente. Dar atenção ao pet também é fundamental.

Bebês e cachorros devem ser apresentados cuidadosamente. Dar atenção ao pet também é fundamental. Foto: Pixabay

Relacionamos uma série de dicas para você que já percebeu que o seu cãozinho está ‘diferente’.

Para a chegada de um novo pet:

- Redobrar atenção para o cachorro que recebeu o amigo e não deixá-lo de lado;

- Fazer associação positiva quando der carinho ao ‘novato’, por exemplo, oferecendo petisco ao primeiro cão da casa;

- Dar uma recompensa ao ‘veterano’, com comidinhas ou atenção, vai aproximá-los. 

Para a chegada de um bebê:

- Durante a gestação, a mulher pode deixar o cachorrinho descansar próximo à barriga;

- Depois do nascimento, apresentar o bebê de maneira gradual ao cão;

- Uma dica bacana é deixar as primeiras roupas usadas pela criança na maternidade para o cachorro cheirar antes da chegada dela;

- Se o pet tem acesso ilimitado aos cômodos da casa, deixá-lo dormir, por um tempo, no quarto do bebê;

- Pedir ajuda de um adestrador qualificado para fazer essa adaptação.