Após Trump questionar acusação de assédio, mulheres contam no Twitter por que não denunciaram

Redação - O Estado de S.Paulo

A hashtag #WhyIDidntReport está sendo usada por pessoas de vários países para contar por que não denunciaram assédios que sofreram

Donald Trump. 

Donald Trump.  Foto: EFE/Michael Reynolds

Christine Blasey Ford é uma professora universitária que acusou o juiz da Suprema Corte dos Estados Unidos, indicado por Donald Trump, Brett Kavanaugh, de tê-la assediado na década de 1980. Na manhã desta sexta-feira, 21, Trump usou o seu Twitter para questionar a veracidade dessa acusação, e acabou criando uma corrente de apoio entre mulheres vítimas de assédio.

A hashtag #WhyIDidntReport (em português, #PorqueEuNãoDenunciei) foi alçada ao tópico mais comentado do Twitter no mundo durante o dia todo e reúne relatos de homens e mulheres contando por que não levaram os casos de assédio sexual que sofreram às autoridades.

Em seus tuítes, Trump diz: “Não tenho dúvidas de que, se o ataque à doutora Ford foi tão ruim quanto ela diz, as acusações teriam sido feitas junto às autoridades locais por seus pais amorosos. Eu peço que ela traga esses documentos preenchidos para que possamos descobrir a data, hora e local".

Ele também aproveita para defender Kavanaugh. "Ele é um homem bom, com uma reputação impecável, que está sob ataque de políticos radicais da esquerda que não querem saber das respostas, apenas querem destruir e atrasar", tuitou.

Sob a hashtag, há mais de 300 mil tuítes em diversos idiomas, incluindo de brasileiras, contando casos sofridos na infância e na adolescência, em meio a amigos e parentes, em igrejas, escolas ou no ambiente de trabalho.

"Porque dois deles eram pais de amigas e eu era uma criança", tuitou uma. "Porque eu tinha seis anos. Quem iria acreditar em uma criança de seis anos?", tuitou outra. "Porque ninguém usava o termo 'estupro em um namoro' quando eu tinha 14 anos. Foi só quando eu tinha 28 anos que me disseram que aquilo era estupro. Como eu poderia denunciar?", contou uma usuária.

Abaixo, separamos alguns relatos. Muitos outros estão sendo publicados no Twitter com a hashtag #WhyIDidntReport.

'Eu fui drogada e abusada. Quando eu denunciei, a polícia do campus me disse que isso acontecia o tempo todo, então eles não registraram uma queixa'

 

'Porque, no começo, eu não sabia que era errado. Era um membro da família. Vinda de uma família religiosa, eu fui ensinada que as únicas pessoas com quem eu estaria segura eram familiares. Eu tinha oito anos. Eu não estava vestindo, fazendo ou dizendo nada 'sugestivo'. Eu estava apavorada'

 

'Porque mesmo quando eu tive coragem para dizer a minha família sobre anos de abuso sexual, eu fui questionada: 'Você tem certeza que isso aconteceu?'. Eu tinha apenas 12 anos'

 

'Eu esperei mais de 20 anos para denunciar a pessoa que abusou de mim. Porque eu tinha 14 anos. Porque ele era meu herói. Porque ele era meu pastor. Porque eu achei que seria expulso. Porque eu tive medo de ninguém acreditar em mim. Porque eu pensei que me suicidar era mais fácil do que dizer a uma pessoa'