Após polêmica com Bolsonaro, Dead Kennedys e ilustrador divergem sobre cartaz

Redação - O Estado de S.Paulo

Cristiano Suarez afirma que arte foi autorizada e oficial, mas banda norte-americana nega

Cartaz do grupo Dead Kennedys.

Cartaz do grupo Dead Kennedys. Foto: Instagram / @cristianossuarez

Após causar polêmica com um cartaz de sua turnê no Brasil que foi visto como uma possível crítica ao presidente Jair Bolsonaro por fãs e internautas, a banda Dead Kennedys afirmou que a arte não teria sido autorizada pelo grupo. Cristiano Suarez, ilustrador brasileiro que fez a arte, nega a versão do grupo.

Na tarde da última segunda-feira, 22, a arte chegou a ser divulgada no Instagram oficial do Dead Kennedys, mas a publicação foi deletada menos de duas horas depois, por conta da repercussão. Ela também havia sido publicada no Instagram de Cristiano Suarez, seu autor.

Posteriormente, o Dead Kennedys publicou uma nota em seu Facebook oficial, se retratando pela divulgação do cartaz. A postagem também foi apagada depois de algum tempo.

A nota afirmava que "o cartaz foi divulgado pelo organizador dos shows sem o conhecimento do Dead Kennedys e não foi autorizado."

A banda reforçou seu posicionamento "fortemente contrário" ao fascismo e à violência, mas ressaltou que a banda não possui conhecimento suficiente para falar sobre a situação política de outros países.

Cartaz da turnê do Dead Kennedys no Brasil.

Cartaz da turnê do Dead Kennedys no Brasil. Foto: Instagram

"O cartaz divulgado não reflete um posicionamento político do Dead Kennedys. A mensagem básica da banda tem sido, e ainda é, fazer as pessoas se questionarem a pensar por si mesmas, e não que digam a elas o que pensar", encerra o comunicado.

O ilustrador brasileiro Cristiano Suarez, criador da obra, também deletou a postagem de seu feed. 

O artista postou um story com uma captura de tela que seria do perfil do Instagram do Dead Kennedys publicando sua arte. "Precisei remover a arte daqui, mas só pra reforçar que ela foi oficial, sim", ressaltou.

Em seu perfil no Facebook, Cristiano discordou da versão apresentada pela banda: "Foi postada no perfil oficial da banda e removido logo após o boom das publicações e dos trending topics do Twitter, logo depois foi liberada uma nota, que também foi apagada quando se deram conta que muitas pessoas já tinham visto".

 

Entenda a polêmica entre o Dead Kennedys e Jair Bolsonaro

No material de divulgação dos shows do Dead Kennedys pelo Brasil, feito pelo ilustrador brasileiro Cristiano Suarez, é possível ver uma família usando cabelo, maquiagem e nariz de palhaço, além de camisas semelhantes ao uniforme da seleção brasileira de futebol - porém, com uma cruz em vez do brasão da CBF.

As crianças da família empunham espingardas. Os membros da família possuem o símbolo do integralismo (movimento político brasileiro inspirado no fascismo) em seus braços e estão cercados por tanques de guerra, que poussuem bandeiras semelhantes às usadas pelo nazismo, mas com símbolos de cifrão [$] em vez de suásticas. Ao fundo, um local semelhante a uma favela pega fogo.

Não há nenhuma citação direta ao governo ou a uma pessoa em específico. Em seu perfil no Instagram, Cristiano afirmou que "pessoas que gostam da banda, assim como eu, entenderam exatamente o que eu quis passar, referências e entrelinhas, sem necessariamente tomar suas próprias conclusões".

Antes, ele havia comemorado a oportunidade: "O tipo de trabalho que dá orgulho de fazer! Dead Kennedys sempre foi minha banda de hardcore predileta, desde a época que eu era moleque!"

"O inglês errado é de propósito, uma ironia ao péssimo inglês do brasileiro comum de classe média que adora a cultura americana acima de tudo! E entenda brasileiro comum como quiser!", prosseguiu.

Suarez refere-se à frase "I love the smell of poor dead in the morning!", presente no cartaz, algo como "Amo o cheiro de pobres mortos pela manhã", em tradução livre. Segundo ele próprio postou em um story, uma referência a uma cena do filme Apocalypse Now.

Cristiano também apagou sua postagem, posteriormente, mas se negou a confirmar que a banda não tivesse dado autorização para tal.

Repercussão do cartaz do Dead Kennedys nas redes sociais

Nas redes sociais, o cartaz dividiu opiniões, mas inúmeros perfis acreditam que a arte faz uma crítica ao presidente Jair Bolsonaro. Alguns posicionaram-se favoráveis a ela, e outros contrários.

Alguns artistas se manifestaram sobre o assunto nas redes sociais. "A arte fala por si. Viva o punk rock", escreveu a atriz Guta Stresser, conhecida por interpretar a personagem Bebel em A Grande Família. O cantor Marcelo D2 também comentou: "Voltamos aos anos 90, mesmo".

Cristiano Suarez compartilhou uma mensagem enviada por João Gordo pedindo: ""Muda, em vez de Dead Kennedys, põe Ratos de Porão [risos]". Pouco depois, o músico e apresentador publicou a adaptação do cartaz com sua banda no Instagram.

Confira algumas reações ao polêmico cartaz da turnê do Dead Kennedys no Brasil abaixo:

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Agora sim !

Uma publicação compartilhada por velho ranzinza (@jgordo) em

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Upcoming May dates in South America.

Uma publicação compartilhada por Dead Kennedys (@dead__kennedys) em

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Obra do artista @cristianossuarez para o cartaz do show do #dk no Brasil. A arte fala por si. Viva o punk rock #punksnotdead

Uma publicação compartilhada por Guta Stresser (@gutastresser) em

Confira abaixo a íntegra do comunicado que havia sido publicado pelo Dead Kennedys, em inglês:

"It has come to the attention of Dead Kennedys that a poster has been released promoting the band’s upcoming shows in Brazil.

This poster was released by the promoter of the shows without the knowledge of Dead Kennedys and is unauthorized. 

Dead Kennedys is an iconic American punk band who is known for its political statements and takes a strong anti-fascist, anti-violence stance.

However, the band feels it cannot presume to know enough about situations in other countries to wade into their specific politics. The poster just released does not reflect a political statement or position of Dead Kennedys.

The band’s basic message has been, and still is, to ask people to think for themselves, not to tell them what to think."

Os preços dos ingressos para o show do Dead Kennedys em São Paulo variam entre R$ 110 (meia) e R$ 300.