Aos 17, psicóloga mais jovem do mundo fará mestrado em Harvard

Cristina Sánchez Reyes - EFE

Mexicana Dafne Almazán se formou na faculdade aos 13 anos de idade

Dafne Almazán foi aprovada em um mestrado na Universidade de Harvard aos 17 anos de idade.

Dafne Almazán foi aprovada em um mestrado na Universidade de Harvard aos 17 anos de idade. Foto: Mario Guzmán / EFE

Aos 13 anos, Dafne Almazán se tornou a psicóloga mais jovem do mundo. Hoje, aos 17, é a mexicana mais jovem a ingressar em uma pós-graduação na Universidade de Harvard e a primeira menor de 18 anos a se matricular em um mestrado na instituição americana em 100 anos.

Dafne, que fará um mestrado em matemática, é uma superdotada. Uma menina que, aos 6 anos, já sabia ler e escrever, e, aos 10, já havia terminado o ensino básico e, aos 13, a licenciatura em psicologia.

Ela é uma das quase dois milhões de crianças que têm este tipo de talento no México.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) define uma pessoa superdotada como aquela com um quociente de inteligência (QI) maior que 130 pontos em alguma prova psicométrica científica e estatísticamente válida.

"São crianças como quaisquer outras, só que com um QI muito maior que o resto da população", assegura o dr. Asdrúbal Almazán, diretor do Centro de Atenção a Talentos (Cedat) e pai de Dafne. 

Dafne Almazán foi aprovada em um mestrado na Universidade de Harvard aos 17 anos de idade.

Dafne Almazán foi aprovada em um mestrado na Universidade de Harvard aos 17 anos de idade. Foto: Mario Guzmán / EFE

Dafne considera que "os jovens superdotados no México são estereotipados, mal diagnosticados e pouco compreendidos."

A jovem psicóloga assegura que as pessoas acreditam que estes jovens passam muito tempo trancados e que são uma cópia de Einstein.

"Eu estudava, mas também brincava; aprendi a tocar instrumentos, passeava com meus cachorros", ressalta. Ela afirma que, além da escola, também gosta da área artística: "Estou aprendendo piano, violino, violão, canto e teatro."

Dafne explica que muitos jovens são mal diagnosticados com Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH), mas, na realidade, "são apenas mais inteligentes".

De acordo com dados do Cedat, 93% dos jovens superdotados são confundidos e diagnosticados de forma equivocada com TDAH, o que gera uma condução inadequada e, portanto, a perda de suas capacidades.

Dafne Almazán foi aprovada em um mestrado na Universidade de Harvard aos 17 anos de idade.

Dafne Almazán foi aprovada em um mestrado na Universidade de Harvard aos 17 anos de idade. Foto: Mario Guzmán / EFE

Dafne, porém, teve a sorte de nascer em uma família onde seus irmãos também são como ela.

Seu irmão maior, Andrew, e seu pai abriram o Cedat, lugar onde se trabalha um modelo educativo desenvolvido por eles, que também foi o psicólogo homem mais jovem do mundo.

Se trata de um modelo psicopedagógico que se baseia em manter as crianças em seu ambiente infantil, porém, com ensinamentos de acordo com seu intelecto.

Há a necessidade de que sejam atendidos por profissionais da mente e comportamento que sejam igualmente superdotados, porque são os que podem atender e dar apoio a estes jovens, diferente do que ocorre em escolas convencionais.

Dafne, por exemplo, nunca pisou em uma escola convencional. Agora os jovens do Cedat têm a oportunidade de aprender em um ambiente onde são compreendidos e ajudados.

Porém, Dafne também seguiu o modelo de "aceleração radical", que significa deixar o jovem aprender sem nenhum freio. O dr. Astrúbal Almazán garante que se trata de potencializar o jovem intelectualmente.

Frequentam o Cedat atualmente mais de 300 jovens que, como Dafne, são superdotados intelectualmente, ainda que esse número já tenha chegado a 4 mil.

Dafne Almazán foi aprovada em um mestrado na Universidade de Harvard aos 17 anos de idade.

Dafne Almazán foi aprovada em um mestrado na Universidade de Harvard aos 17 anos de idade. Foto: Mario Guzmán / EFE

Não apenas lhes dão aulas como também atividades extracurriculares artísticas e esportivas.

Inclusive, Dafne teve aulas no centro e assegura que isso influenciou na escolha do mestrado que iniciará em Harvard.

"Sempre se pensa que as matemáticas são difíceis, mas são algo que está em nossa vida e são necessárias estratégias para ensiná-las e para que os jovens possam se interessar", afirma.

Para que se possa identificar este tipo de jovem, existe um perfil de superdotados, criado por Andrew Almazán.

Nele se detalham certas características dos jovens, entre elas hiperatividade, aprendizagem rápida, distração, usar palavras como as que as pessoas maiores usam e estar continuamente montando objetos ou estruturas, entre outras.

O importante, diz Asdrúbal Almazán, é detectá-los e orientá-los para evitar que suas capacidades sejam perdidas.

Dafne é motivo de orgulho não só de seu pai, como do Cedat, e espera continuar evoluindo profissionalmente "para ajudar aos jovens, que não sofram e vejam que também podem conquistar muitas coisas."