Academia de cinema britânica implementa critérios de diversidade em suas premiações

Redação - O Estado de S.Paulo

Os filmes indicados para duas das categorias terão de comprovar que trabalharam para melhorar a igualdade na indústria cinematográfica

A academia de cinema britânica anunciou que a partir de 2019 filmes concorrendo em duas das categorias da sua principal premiação vão precisar obedecer critérios de diversidade para serem indicados

A academia de cinema britânica anunciou que a partir de 2019 filmes concorrendo em duas das categorias da sua principal premiação vão precisar obedecer critérios de diversidade para serem indicados Foto: Stefan Wermuth/Reuters

A British Academy of Film and Television Arts (BAFTA) anunciou na terça-feira, 19, que vai implementar recursos para aumentar a diversidade dos filmes indicados à sua principal premiação já em 2019. Nas categorias de melhor filme britânico e melhor estreia por um roteirista, diretor ou produtor britânico, todos os filmes terão de respeitar dois dos quatro critérios de diversidade criados pelo BFI (British Film Institute).

Os critérios de diversidade foram criados em 2016 e tocam em quatro áreas da linha de produção de um filme: representação em temas e narrativas; liderança criativa; criação de acesso e oportunidades na indústria cinematográfica; e oportunidades para melhor diversidade na audiência. Todos os critérios foram criados para que a premiação fique de acordo com a lei britânica de igualdade aprovada em 2010.

“Estou imensamente orgulhoso do compromisso da BAFTA com a diversidade em todas as suas atividades que apoiam uma indústria aberta, acessível e inclusiva. Ao abraçar esses critérios em nossas premiações, poderemos melhorar o trabalho que já vem sendo feito para aumentar a representação enquanto mantemos os padrões da BAFTA para excelência nas filmes britânicos”, disse Marc Samuelson, diretor da academia.