Você sabe o que é um ebanista?

Marcelo Lima - O ESTADO DE S. PAULO

Conheça os móveis de madeira do designer Ricardo Graham Ferreira

O trabalho do profissional consiste em desenhar e produzir com as próprias mãos um móvel de madeira, de acordo com Ricardo Graham Ferreira

O trabalho do profissional consiste em desenhar e produzir com as próprias mãos um móvel de madeira, de acordo com Ricardo Graham Ferreira Foto: Salvador Canto

É na região serrana do Rio de Janeiro, que Ricardo Graham Ferreira, da oEbanista, trabalha a madeira a partir de técnicas artesanais, aprendidas durante estudos na França e Itália. “A marcenaria é uma atividade muito antiga e especializada. Na Europa do séc. XVI, graças à expansão marítima, o marceneiro começou a ter acesso a madeiras novas como o ébano. O título de ebanista surgiu para qualificar estes artesãos”, conforme afirmou ele, nesta entrevista ao Casa. 

Banco Sela, criação do designer

Banco Sela, criação do designer Foto: Salvador Canto

O que caracteriza o trabalho de um ebanista?

Essencialmente, desenhar e produzir com as próprias mãos um móvel de madeira. Para isso, é necessário reunir uma vasta gama de conhecimentos. É preciso conhecer as ferramentas e as técnicas de marchetaria, os encaixes, entalhes e acabamentos. Eu sou ebanista por formação.

O ebanista Ricardo Graham Ferreira com um de seus best-sellers, a cadeira 3 pés

O ebanista Ricardo Graham Ferreira com um de seus best-sellers, a cadeira 3 pés Foto: Salvador Canto

Como esse conhecimento é transmitido?

Exclusivamente de forma prática. Tudo que é explicado, que é lido, só tem existência no nosso trabalho se houver experimentação na bancada. Esse ofício só pode ser aprendido se a pessoa colocar a mão na massa. Começa por varrer a oficina: você nunca mais vai esquecer do cheiro do cedro depois de ter a experiência. 

Cadeira Natural, alta e baixa

Cadeira Natural, alta e baixa Foto: Salvador Canto

O que o fato de você morar e trabalhar no mesmo local determina no seu trabalho?

Moro a dois passos da minha oficina. Eu escolhi morar na serra com minha família. Me sinto melhor em lugares mais tranquilos. Esses lugares reúnem muitos saberes. Você se relaciona muito mais com as coisas da natureza, com a agricultura, a jardinagem, os bichos. Também tem a relação com as pessoas. Moro no mesmo distrito que os marceneiros que vêm trabalhar comigo a pé, de bicicleta. Isso possibilita um tempo menos corrido. O tempo artesanal é o tempo da natureza, o tempo do humano.

Poltrona leve Capuri

Poltrona leve Capuri Foto: Salvador Canto