Três projetos com diferentes propostas refrescantes

Ana Lourenço - O Estado de S. Paulo

Independentemente da linha condutora, eles viram refúgios refrescantes e acolhedores para seus donos, especialmente durante o verão

Vista a partir da sala para o jardim

Vista a partir da sala para o jardim Foto: Evelyn Muller

Uma das coisas mais interessantes da decoração é a capacidade de produzir sensações. É o caso destes três projetos. Apesar de terem diferentes metragens, localizações e escritórios de arquitetura, as casas e o apartamento destacados exalam frescor – cada qual à sua maneira. 

 

Para o pessoal do escritório Macaxá (macaxaarquitetura.com.br), a sensação surge principalmente a partir da presença de iluminação natural. Já no projeto da Oliva Arquitetura (oliva.arq.br), a base branca é o grande truque para trazer mais pontos de cores, sem exageros, ao apartamento. Finalmente, a designer de interiores Marcela Pepe (marcelapepe.com.br) investe nos móveis de fibras naturais e na madeira para criar um ambiente com clima bem praiano. 

Independentemente da linha condutora, todos os projetos viram refúgios refrescantes e acolhedores para seus donos, especialmente durante o verão.

Frio com quente

Na praia de Juquehy, no litoral norte de São Paulo, o paraíso de 150 m² criado pela designer de interiores Marcela Pepe tem a natureza como protagonista. Além de um jardim particular na varanda, que quase invade a decoração graças às portas de vidro, o estilo também é espalhado pela casa, por meio de vasos com plantas variadas, cestaria e muita madeira em móveis e detalhes. 

“Me prendo muito a essa noção de aconchego”, conta Marcela. Ela explica que equilíbrio é a palavra-chave nesse projeto, uma vez que a casa exala frescor, ao mesmo tempo em que traz peças essenciais para aquecer os ambientes. “Temos o piso frio, mas também os tapetes de algodão e crochês, a palha, a madeira. Tudo isso para aquecer. Mas não no sentido de esquentar e, sim, de acolher”, diz. 

Veja as fotos da casa: 

Evelyn Muller
Ver Galeria 8

8 imagens

A noção de aquecer e acolher é um dos pontos-chave de todos os projetos selecionados pelo Casa. A ideia presente em cada um deles é criar uma atmosfera aconchegante por meio de uma decoração que utiliza tecidos leves, cores e disposição dos objetos. Objetos esses garimpados, trazidos de viagens e adquiridos especialmente para o imóvel. Assim, mais do que oferecer conforto, a casa conta a história da família que ali vive.

"Descontração, praticidade e charme – isso resume o projeto”, afirma Marcela. De um lado, o uso da madeira e de cores mais quentes, como o vermelho. Do outro, uma rede e a presença do azul, que traz leveza. Tudo isso além da utilização de portas grandes, que facilitam a circulação do ar e aumentam a luminosidade da casa, reforçando a sensação de se estar à beira-mar

Atenas Brasileira

Canto com rede e plantas é o predileto das arquitetas

Canto com rede e plantas é o predileto das arquitetas Foto: Ana Helena Lima

Na Aclimação, o projeto de 70 m² do escritório Macaxá tinha a proposta de ser um refúgio para a moradora. “O fato de a cliente trabalhar muito e sentir a falta de um espaço acolhedor nos permitiu trazer uma nova atmosfera para a casa. Ela até brinca que se sente de férias na Grécia toda vez que entra no local”, conta a arquiteta Bruna Giannini, do escritório. 

A atmosfera de uma casa de praia em plena cidade de São Paulo foi criada por meio de texturas de diferentes elementos, como o ladrilho hidráulico e a chamativa parede de tijolos branca. Tudo contrastando com os pontos de cores da casa, especialmente o azul, presente nas portas e janelas. 

“Os espaços já tinham bastante iluminação por causa das grandes janelas. Mas nossa ideia foi potencializá-la, pintando as paredes de branco, usando tons quentes na marcenaria e tons mais frescos nos detalhes”, explica a arquiteta Júlia Cabrera, que também assina o projeto.

Confira as fotos do projeto:

Ana Helena Lima
Ver Galeria 8

8 imagens

Já o aconchego foi causado especialmente pela funcionalidade dos móveis: uma rede para descanso; um extenso banco que rouba a atenção do ambiente (e ainda serve como espaço para guardar objetos com cinco gavetões); e um sofá confortável para receber os amigos.

O piso foi substituído por um porcelanato cinza de maior dimensão, o que garantiu uma sensação de amplitude e integração entre os ambientes. Para dar destaque à parede da sala de jantar e seguir a ideia de usar materiais naturais e várias texturas na decoração, foi feita uma paginação a partir do uso de duas peças do ladrilho hidráulico (um liso e um decorado). Os detalhes em tons terrosos reaparecem no lavabo e nos móveis de madeira, criando unidade na residência.

De forma geral, é um projeto repleto de pequenos detalhes – são eles que dão leveza para a casa. As portas com frisos e os puxadores, que trazem uma textura para o móvel, foram intencionalmente escolhidos com um design fora do comum. 

Para o projeto de iluminação, o forro de gesso já existente garantiu a utilização de spots de luz, mas pendentes e luminárias discretas complementam a luminosidade da casa. 

Sensações carnavalescas

Colorido e alegre, apartamento na Vila Madalena, com projeto da Oliva Arquitetura, é a cara do verão

Colorido e alegre, apartamento na Vila Madalena, com projeto da Oliva Arquitetura, é a cara do verão Foto: Renan Soares

Apesar de transmitir alegria, assim como as boas festas de carnaval, o projeto faz uso de cores de maneira consciente. “O desafio foi atender ao desejo dos clientes de manter as cores, sem tornar isso uma salada”, brinca Bianca Atalla, que assina o projeto com Elisa Ju e Fernanda Mendonça, todas da Oliva Arquitetura. 

O projeto de 112 m² na Vila Mariana trouxe a base neutra como truque para manter todas as cores do projeto. Marcantes e autênticas, as três cores primárias de destaque (azul, amarelo e vermelho) se mesclam com a madeira do piso e dos móveis. Vale salientar que, apesar de ser predominante, a matéria-prima está no mesmo tom em todos os ambientes. 

“Se a gente trabalhasse com texturas pesadas, o visual seria poluído. Por isso, o uso do efeito caiado (pintura com cal) na parede, que antes era de tijolo rústico avermelhado, o que deu mais leveza ao ambiente”, esclarece Elisa.

Além da parede, o sofá e as portas levam uma tonalidade cinza claro, o que também ajuda a dar destaque e harmonizar com os pontos de cor. 

O apartamento se distribui em salas integradas com a cozinha. Ele ainda conta com um cantinho de leitura e de música ao lado da sala de jantar – que, por sua vez, é próxima à cozinha, sendo separadas apenas por uma bancada.

Inspire-se no projeto:

Renan Soares
Ver Galeria 6

6 imagens

A sala de TV com sofá retrátil e poltronas é isolada do escritório por uma porta camarão. A divisão, nesse caso, foi criada para manter as crianças longe do ambiente de trabalho dos pais.

Há também, claro, uma área íntima, que conta com dois quartos – o do casal e o dos filhos.

O projeto também contemplou a reforma dos móveis que eram importantes para o casal. “Inserimos novos contextos para evitar desperdícios e ainda economizar”, pontua Fernanda. Foi o caso do móvel amarelo, que pertencia à família e foi pintado pela moradora. 

Muito mais do que uma peça ou técnica específica, é uma série de detalhes que garante a sensação de aconchego para o morador – e de frescor, até mesmo para aqueles que nunca chegaram a visitar os tais refúgios de verão. Eis o segredo para ter uma casa de praia, mesmo sem nenhum mar por perto.