Traço de mestre

Marcelo Lima - O ESTADO DE SÃO PAULO

Mobiliário desenhado para o Sesc 24 de Maio, pelo arquiteto brasileiro Paulo Mendes da Rocha, prêmio Pritzker 2016 de Arquitetura, é reeditado pela ovo paulistana e entra em linha nos próximos meses

Mesa de centro e poltronas

Mesa de centro e poltronas Foto: Nelson Kon

Arquitetura e design sempre caminharam juntos. Especialmente entre os arquitetos modernistas, entre os quais poucos nunca se arriscaram em desenhar ao menos uma cadeira ou objeto. Prêmio Pritzker de Arquitetura de 2006, o brasileiro Paulo Mendes da Rocha não é exceção à regra, tendo desenhado, ao longo de sua carreira, inúmeras peças para compor os interiores de seus projetos. Como em um dos mais recentes deles, a sede do Sesc 24 de Maio, no coração de São Paulo. Um centro de esportes e lazer, inaugurado em 2017, que traz hoje, espalhado por suas instalações, uma série exclusiva de móveis desenhados pelo premiado arquiteto, em conjunto com os seus colegas Marta Moreira e Milton Braga. Mesas, cadeiras e espreguiçadeiras feitas de chapa metálica dobrada, destinadas à utilização coletiva e que passam agora a ser produzidas e comercializadas pela marca ovo, dos designers Luciana Martins e Gerson de Oliveira. Uma raridade, em se tratando de móveis do gênero, que os designers apresentam nesta entrevista ao Casa.

Como surgiu a ideia de produzir as peças de mobiliário do Sesc 24 de Maio?

Quando soubemos que o Paulo Mendes, junto aos arquitetos do MMBB, Marta Moreira e Milton Braga, desenhariam todo o mobiliário para o Sesc 24 de Maio, à época ainda em construção, de imediato nos interessamos. Mesmo sem ter visto o projeto, já sabíamos que viria coisa boa dali. Entramos em contato com eles e manifestamos nosso interesse. Isso foi há uns três ou quatro anos. Quando, mais recentemente, tomamos contato com o mobiliário pela primeira vez, percebemos que havíamos feito a escolha certa. No fim do ano passado, retomamos a conversa. Agora estamos muito felizes de poder anunciar que a ovo vai produzir e editar esta coleção. Móveis que, por si só, já nascem icônicos.

Os designers Luciana Martins e Gerson de Oliveira, da ovo.

Os designers Luciana Martins e Gerson de Oliveira, da ovo. Foto: Bob Wolfenson

É a primeira vez que vocês editam móveis como estes, pensados para uso coletivo?

Na verdade, a ovo tem cada vez mais atuado no campo do mobiliário para áreas de grande circulação, tanto públicas quanto corporativas. Nosso mobiliário está na Pinacoteca do Estado, no Café Bienal, entre outros. São espaços de grande circulação que têm ganhado uma presença cada vez maior no nosso trabalho, o que nos agrada muito. No caso desta linha, especificamente, as peças foram criadas para um espaço público, porém nada impede que sejam usadas também em ambientes residenciais.

Houve alguma dificuldade particular durante o processo de produção?

Estamos ainda na fase dos ajustes finos, mas não houve nenhuma dificuldade que já não tivesse sido equacionada durante o desenvolvimento dos móveis para o Sesc 24 de Maio. Note que, quando falo em ajustes finos, me refiro a questões técnicas relativas ao processo de fabricação. Naturalmente, o desenho está sendo, e será sempre, seguido à risca. Aliás, este período, no qual o mobiliário passou a ser plenamente utilizado e submetido a um enorme trânsito diário de público, já nos mostrou que ele está apto a enfrentar seu maior desafio em termos de resistência. A performance mecânica das chapas metálicas é excelente, elas respondem perfeitamente bem ao solicitado, tal qual previsto no projeto do Paulo Mendes.

Modelo para refeições já em utlização no Sesc 24 de Maio

Modelo para refeições já em utlização no Sesc 24 de Maio Foto: Nelson Kon