Sem medo de misturar

Ana Lourenço - O Estado de S. Paulo

Reunindo alguns dos atuais 'hits' da decoração, projeto se transforma em recanto de tranquilidade e estilo

Vista a partir da sala de TV com vista para a cozinha. Ao fundo, bar ganha destaque com mapa na parede

Vista a partir da sala de TV com vista para a cozinha. Ao fundo, bar ganha destaque com mapa na parede Foto: Cris Farhat

Tentar manter a casa atualizada com as últimas novidades do mundo da decoração não é tarefa fácil. Em se tratando de um mesmo espaço, muitas vezes pode ser até desaconselhável. No entanto, a arquiteta Flávia Cavalcanti, do Estúdio Itinerante, resolveu encarar o desafio de reunir, com equilíbrio, linguagens aparentemente conflitantes, neste apartamento de 100 m², na Barra Funda.

Sob o mesmo teto, convivem hoje um pouco de estilo industrial, a integração quase total entre os ambientes, o farto uso da madeira, cores claras, e a presença de muitas plantas. Claro que o desejo dos futuros moradores de começar do zero e montar um apartamento totalmente novo foi um poderoso incentivo.

“A planta original do apartamento trazia muitas divisões e ambientes compactos. Para personalizarmos e proporciornarmos aos moradores espaços mais generosos, a marcenaria ganhou papel-chave”, esclarece Flávia. Assim, a madeira freijó assume múltiplas feições ao longo do projeto. Às vezes usada de forma mais delicada, como nos armários. Em outras, de forma mais vibrante no painel ripado que esconde o lavabo, na entrada.

“Um dos aspectos que mais gosto do projeto é o desenho fino da marcenaria em contraposição à rusticidade do concreto aparente. Esse contraste garantiu um visual mais contemporâneo, amplo e funcional”, ressalta. De fato, o concreto divide importância com a madeira e, empregados, lado a lado, ambos dialogam com os ambientes. Como em um dos grandes destaques do projeto, o bar, que ganhou um mapa fixado sobre um dos pilares deixado à mostra.

Confira as fotos do local: 

Cris Farhat
Ver Galeria 9

9 imagens

“Meu principal desafio foi equilibrar a área social do apartamento com os dormitórios”, pontua a profissional. O home office, por exemplo, absorveu o closet, se transformando um local de transição, liberando espaço para os quartos. “Ao não utilizarmos divisórias, o ambiente ficou enxuto e funcional sem tirar muita área da sala”, diz ela.

Outro importante elemento responsável pela harmonia do projeto foi a paleta de cores que segue do cinza ao azul, em conjunto com a base neutra, por todo o apartamento, fazendo com que o imóvel sugira uma atmosfera bastante refrescante. Um convite às frequentes reuniões com os amigos. 

A iluminação natural foi, também, um item bastante valorizado, sobretudo nas áreas da varanda e da sala. Isso porque a divisória entre esses espaços foi totalmente retirada e o desnível entre os pisos compensado com argila expandida. “Uma vez envidraçada, a varanda se tornou um ambiente único, uma grande sala que começa no hall e vai até a vidraça. "O pilar e a viga principal foram descascados e lixados e, hoje, emolduram a entrada da cozinha nesta grande sala”, explica.

Em relação aos móveis e acessórios, Flávia optou por utilizar linhas contínuas e retas, o que também contribuiu para reforçar a sensação de amplitude nos ambientes. Como ocorre, por exemplo, com o rack azul da sala, que se transforma em banco e, acima, a prateleira de freijó. Já o tapete de centro da sala rompe com o porcelanato cinza de todo o living e remete ao piso de ladrilhos do lavabo.

De um lado, uma sala ampla, integrada e pronta para as festas. Do outro, dormitórios compactos, simples e que conseguem garantir a privacidade. Eis, em linhas gerais, a receita de Flávia para criar uma casa que conquista. E que esbanja frescor e alegria.