Roteiro de design

Mauricio Lima - Impresso

Editor do Guia do Design de São Paulo contou com a participação de crítico inglês no projeto

Banco Prisma, de Zanini de Zanine para a Mekal, no Guia do Design de São Paulo

Banco Prisma, de Zanini de Zanine para a Mekal, no Guia do Design de São Paulo Foto: Roberto Wagner/Divulgação

A exemplo de outras capitais internacionais, São Paulo já conta com seu guia de design. Idealizado e produzido pelo administrador de empresas Maurício Pinto e Silva – um entusiasta e promotor de eventos na área –, o volume, que cobre o biênio 2015-2016, elenca endereços-chave da cidade e traz comentários especializados. “Nenhum dos participantes pagou para figurar na publicação nem pode interferir no conteúdo”, conta Silva, que teve como referência o London Design Guide, editado pelo crítico Max Fraser, com quem percorreu a cidade. “Ele ficou feliz em colaborar e me ajudou a descobrir novas formas de abordar o assunto”, afirmou em entrevista ao Casa.

Em que consiste o guia?

Nosso principal modelo foi o guia feito por Max Fraser para o London Design Festival, mas estudei outros, de cidades como Berlim, Sydney e Melbourne. Criei capítulos correspondentes às regiões nas quais a presença do design é relevante e os verbetes procuram sintetizar a alma dos estabelecimentos. Cada capítulo tem um texto sobre a região e ensaio curto escrito por um personagem do design. Há ainda espaço para textos com conteúdo interessante e informativo sobre o tema.

Poltronas Suave, de Julia Krantz, que está no Guia do Design de São Paulo

Poltronas Suave, de Julia Krantz, que está no Guia do Design de São Paulo Foto: Sherry Griffin/Divulgação

Qual a participação do crítico de design londrino Max Fraser na edição?

Ele gostou da ideia da preparação do guia de São Paulo e aceitou meu convite para participar como editor convidado – ele não conhecia nenhuma cidade da América Latina. Fraser ajudou com esclarecimento de dúvidas e sugestões, mas sua visita foi o que tivemos de melhor. Gastamos muita sola de sapato visitando estabelecimentos cotados para figurar no guia. E em um dos ensaios, ele relata a experiência que viveu em São Paulo.

O que você acredita que particulariza o design veiculado em São Paulo?

São Paulo tem uma oferta de design comparável a todas as grandes capitais do mundo. O diferente é a oferta de produtos de design brasileiro e de alta qualidade. Para o visitante antenado, brasileiro ou estrangeiro, os móveis nacionais impressionam pela qualidade do projeto, da fabricação e dos materiais. A diversidade e a beleza das madeiras são únicas. Também chama a atenção a concentração de estabelecimentos de design em uma região específica, ao longo da Alameda Gabriel Monteiro da Silva. É difícil encontrar algo similar em outro lugares.

Luminária Coração, do Estúdio Manus, que consta do Guia do Design de São Paulo

Luminária Coração, do Estúdio Manus, que consta do Guia do Design de São Paulo Foto: Caio de Medeiros FIlho/Divulgação