Revestir traz calor

Beto Abolafio - O Estado de S.Paulo

Com o bom uso de forrações, o arquiteto Sig Bergamin deixou a casa de campo pronta para atravessar o inverno

O casal de 30 e poucos anos, com dois filhos, comprou uma casa num condomínio de hipismo e golfe entre Itatiba e Bragança Paulista, no interior de São Paulo. Sig Bergamin foi chamado para decorar os interiores da construção neutra de 735 m2, desenhada por Marcos Tomanik. "Como fica no campo, o resultado é bem acolhedor, como pede o inverno", explica o arquiteto.

O fato de trabalhar a partir de um projeto não elaborado por ele parece ter sido fácil para Sig. O profissional deixou a neutralidade do lado de fora e, por dentro, usou toda a sorte de revestimentos em cores fechadas, que, na maioria das vezes, causam efeito vistoso.

Quem entra pela porta principal dá no hall-galeria com pé-direito de 8 metros de altura. Ali, um banco repleto de almofadas com estampas entre verde e vinho e as longas cortinas coloridas dão a senha do que se verá.

À esquerda ficam a biblioteca, com paredes cobertas por rádica de imbuia, e o living com lareira, ao lado da qual telas evocam um quê tropical - referência díspar em meio à ambientação de viés europeu. Anexa, a sala de jantar exibe papel de parede em sintonia com o restante. Já os quartos, no pavimento superior, usam tecido nas paredes. Por toda a parte denota-se a maneira com que o decorador usou uma mescla de diferentes padronagens. Detalhe: há certa ênfase para o xadrez - clássico que, por acaso, está na moda.

"Adoro o inverno", conta Sig, que costuma vestir a própria casa para a estação. O profissional tem segredos para isso. É o que se verá na entrevista publicada nas páginas seguintes, além de mais detalhes do projeto no campo.