Refresco no meio da mata

- Impresso

Casa nos arredores de Belo Horizonte tem piscina que parece flutuar no terreno inclinado

A piscina fica na entrada do terreno neste projeto de Estela Netto nos arredores de Belo Horizonte

A piscina fica na entrada do terreno neste projeto de Estela Netto nos arredores de Belo Horizonte Foto: Daniel Mansur/Divulgação

Nos arredores de Belo Horizonte, em uma região de mata, a piscina azul parece flutuar, dada a inclinação do terreno. É ela quem dá as boas-vindas a quem visita a casa, onde vive e trabalha o casal de proprietários. “A casa foi construída nos fundos de um terreno inclinado de 1.500 m², característica bastante frequente na região, e queríamos que parecesse que ela havia pousado ali, sem se impor à paisagem”, conta a arquiteta Estela Netto, responsável pelo projeto.

Em um volume único de 250 m², o imóvel tem uma grande sala com 8 m de comprimento, com decoração em tons sóbrios, de onde se avistam as montanhas e o verde do entorno. “Neste projeto buscamos, desde a linguagem arquitetônica escolhida, a simplicidade com qualidade de vida. Essa é a ideia do luxo sem ostentação”, diz Estela.

Vista da piscina, a fachada da casa tem, ao lado da sala envidraçada, painéis formados por ripas de madeira que podem ser totalmente abertos, deixando à mostra a varanda para onde se voltam os três quartos. Quando fechados, eles filtram a luz do sol e criam um sombreado gostoso que é um convite à deitar na rede.

Siga o Casa no Instagram e use #casaestadao

Sempre tendo em mente o cuidado com o terreno em lugar privilegiado, o caminho que começa na entrada e leva até a casa, no topo da área, foi calçado com blocos de concreto intertravado, que permitem a absorção da água. “Manter o terreno permeável foi uma de nossas preocupações. A casa também conta com sistemas de captação da água da chuva e de energia solar. Queríamos causar o menor impacto possível.”

Para chegar à piscina, construída com uma única raia, é só descer pelo jardim gramado. Moldada com concreto, ela foi revestida com um bolsão vinílico – o que dispensou o uso de pastilhas ou azulejos – e fica bem no meio de um deck de madeira. A escapada para relaxar entre um trabalho e outro no home office está garantida.

Daniel Mansur/Divulgação
Ver Galeria 7

7 imagens