Questão de equilíbrio

Ana Lourenço - O Estado de São Paulo

Tons claros, sobretudo de azul, ajudam a suavizar a decoração deste duplex, decorado com base em revestimentos rústicos

Vista geral do living. Paredes claras imprimem leveza e claridade aos ambientes 

Vista geral do living. Paredes claras imprimem leveza e claridade aos ambientes  Foto: Carol Mossin

A correria diária muitas vezes pode contribuir por sublimar as características de paz e acolhimento que toda casa deveria ter. Na contramão deste processo, este apartamento, de 100 m², assinado pela arquiteta Vinícia Brandão, pretendeu, desde o início, se constituir em uma espécie de refúgio para um típico casal paulistano. Ainda que em pleno Brooklin, na zona sul da cidade.

“Eles queriam viver em espaços essencialmente práticos e, devo admitir, a distribuição que encontrei facilitou isso”, conta Vinícia. Assim, a planta, tal qual entregue pelos antigos moradores, foi preservada em sua integridade: sala, lavanderia, lavabo, cozinha e terraço no andar de baixo. Suíte e quarto de hóspedes concentrados no andar de cima.

Confira as fotos do projeto:

Carol Mossin
Ver Galeria 13

13 imagens

Logo na entrada, o estilo industrial, atualmente em alta, com suas paredes descascadas e estruturas à mostra, parece ter sido, de fato, vislumbrado pela arquiteta. Mas apenas de forma indireta. “Quando resolvi investir nesta brutalidade construtiva, mais do que imprimir um estilo, pretendi criar um contraponto para a leveza global da decoração, marcada por tecidos leves e pelo uso de tonalidades claras, especialmente de azul”, diz ela.

“Procurei evitar excesso de informações e valorizar os detalhes, que são poucos e aparecem de forma dispersa. Me arrisco dizer que em termos de conteúdo, o apartamento é quase minimalista. Até mesmo a rusticidade acentuada, presente em alguns momentos, corresponde a essa ideia”, sintetiza a arquiteta. Os tijolinhos em placas nas paredes, por exemplo, simulam uma sem revestimento. O painel de madeira da sala, que além de servir de suporte para a TV, oculta a porta do lavabo, remete aos painéis de fechamento das construções.

Afinados com a proposta, pilares e vigas foram propositalmente descascados, deixando o concreto aparente. No entanto, o uso de ladrilhos hidráulicos, na escada e no lavabo, suavizou a composição, sugerindo um clima campestre, quase interiorano, à decoração.

Uma sensação bastante presente, por exemplo, no quarto do casal que traz cama com estrutura metálica, pintada de branca, assim como o criado-mudo e a luminária de apoio, ambas as peças com desenho de época, daquelas encontradas em feirinhas de antiguidades. 

Ao contrário do que se imagina, porém, descascar paredes, vigas e pilares acaba acarretando um custo maior de construção. “Pensando no bolso de meus clientes, optei por compensar em outros pontos, como, por exemplo, no projeto elétrico e de iluminação, trabalhando com eletrocalhas aparentes”, explica. 

Outro recurso foi aproveitar o rebaixamento do teto, feito para embutir a iluminação, para criar uma faixa azul contínua que percorre quase toda a área social da casa. “A cor se faz presente também nos tapetes, no ladrilho hidráulico da escada e na marcenaria da cozinha, por exemplo. Acredito que, ao lado dos materiais rústicos, ela ajudou a reforçar a percepção de que o apartamento se situa em algum lugar mais tranquilo, fora do perímetro urbano da cidade”, considera Vinícia, não sem razão.