Quer brincar de casinha?

Julia Contier - O Estado de S.Paulo

A convite do Casa &, quatro crianças visitaram a Casa Kids para avaliar o novo criado pela Casa Cor 2009

Mesmo a casa mais organizada do mundo é capaz de ficar de cabeça para baixo com a presença de quatro crianças inquietas e curiosas. E foi exatamente isso que aconteceu quando a equipe do Casa& levou João Antônio da Silva Prado, de 6 anos, Gabriel Simonetti, da mesma idade, e as irmãs Carolina e Camila Nogueira, de 11 e 8, respectivamente, à Casa Kids - uma das novas atrações da Casa Cor 2009, criada para pais e filhos.

 

Em poucos minutos, João, Gabriel, Carolina e Camila estavam sem sapatos e explorando todos os cômodos daquela casa "feita para pessoas ricas", como disse Camila. A cada espaço, uma nova descoberta, até chegarem ao último, o Quarto de Brincar - o mais interessante na opinião das crianças.

 

Camila e Carolina viraram mães de mentirinha na Suíte do Bebê. Duas bonecas que estavam no berço logo eram embaladas pelas irmãs. "Adoro brincar de boneca; tenho um monte em casa", contou Camila. O olhar atento de Gabriel rapidamente percebeu uma grande diferença no banheiro. "Olha! Tem até uma privada, só que é pequenininha." Outras peças em miniatura também chamaram a atenção, como dois roupões cor-de-rosa para recém-nascidos e um miniofurô para o banho dos pequenos.

 

TEMÁTICA ESPECIAL

Enquanto as meninas ainda brincavam com as bonecas, Gabriel e João exploravam o Quarto dos Meninos. "Vamos para a nave", disse João, referindo-se à cama. "Vem ver esses robôs, João!", gritou Gabriel, chamando o amigo para ver a decoração do quarto com temática espacial. Após vasculharem todos os cantos do espaço cibernético, os dois seguiram para a Suíte da Menina, mas não acharam muita graça. Afinal, o espaço é "um quarto de princesa", como definiu Carolina. O que mais divertiu Camila no ambiente embalado por músicas da Disney foi brincar com a coroa e os acessórios "reais". Carolina se deliciou na cama "com cortina" e releu trechos de O Pequeno Príncipe.

 

Na hora de bancar o minichef, na Cozinha projetada especialmente para crianças, o entretenimento foi garantido. A pia tem tamanho especial, um micro-ondas e uma geladeira pequenos são adaptados para a criançada, além da sanduicheira "que deixa a marca do Mickey no pão", observou Gabriel.

 

Mas diversão, mesmo, todos encontraram no Quarto de Brincar. "Olha!" foi a palavra mais usada pelas crianças - afinal, todos tinham algo para mostrar. Fosse a árvore pintada no teto, a coleção de Barbies, o livro de Charlie e Lola (da série de TV do canal Discovery Kids) para pintar, um enorme cachorro de brinquedo ou a pista de Hot Wheels. O "teste" só chegou ao fim porque era hora de ir para escola.

 

Para quem quer entrar nesse universo, com direito a carrinhos de pipoca, oficina de maquiagem e monitores para brincar na Praça Casa Kids e no Jardim da Criança, o evento acontece de terça a sexta (R$ 35), e aos sábados e domingos (R$ 40), no Jockey Club, até 14 de julho.

 

QUARTO DE BRINCAR

No espaço, de 22m 2, de Edson Lorenzzo, o que mais chama a atenção são as diversas possibilidades de brincadeiras concentradas em uma mesma área, em diferentes níveis e vários cantos. No nível do chão, tem uma mesa para desenhar e pintar e uma passagem secreta para a cinemateca, com duas minipoltronas. No mezanino, sob a árvore de mentirinha, há um bom espaço para jogar, além de uma pequena biblioteca e uma casa de bonecas. A ideia é boa, mas o arquiteto Fabio Namiki, da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), apontou algumas falhas de segurança. "O mezanino deveria ter uma proteção contra quedas. O buraco para a porta de correr e em volta da árvore formam armadilhas certas." Segundo ele, esses vãos, quando necessários, devem ser mínimos (menores que 3 cm) para que o pé da criança não passe. "A escada sem corrimão também não inspira segurança."

 

COZINHA

Ângela Tasca projetou a cozinha pensando em uma família com filhos pequenos. Por isso, no espaço de 70 m2, reservou uma área para que as crianças pudessem aprender a cozinhar. "Na bancada das crianças, a última gaveta serve para elas subirem e ficarem da altura da pia. No espaço, há também um pequeno micro-ondas e uma geladeirinha, acessórios para fazer raspadinhas, sanduíches, além de livros com receitas fáceis", diz Ângela. O piso é feito com sobras de lâmpadas fluorescentes "que deixam o chão colorido". O tampo da pia é de silestone, "fácil de limpar e não junta bactérias", avisa.

 

SUÍTE DA MENINA

Inspirada nos palácios de Veneza, a Suíte da Menina, de 26,5 m2, foi projetada pela arquiteta Patrícia Novoa. Como o tema é o mundo da princesa, alguns detalhes remetem à realeza, como um dossel criado por Patrícia, com a aplicação de 250 rosas de papel machê. "O espaço combina a decoração clássica com um projeto de iluminação automatizado, assim como recursos de áudio e vídeo que podem ser controlados por meio de um dispositivo portátil", explica Patrícia. Ela diz ainda que o projeto de acessibilidade levou em conta vãos livres para circulação de cadeirantes.

 

SUÍTE DO BEBÊ

Um quarto romântico, de 25 m2, que usasse a tecnologia a favor da mãe moderna. Foi essa a ideia que norteou o projeto de Glaucya Taraskevicius para criar a Suíte do Bebê. "A tecnologia é encontrada no controle de sistema de câmeras instaladas no quarto e no banheiro, o que possibilita o acompanhamento dos filhos pela internet", diz a arquiteta.

 

QUARTO DO MENINO

"Quando era pequeno, meu pai vivia viajando. De uma daquelas viagens trouxe um capacete da Apollo 11 (a primeira nave tripulada a pousar na lua) e fiquei encantado. Cresci sonhando em ser astronauta, mas acabei virando arquiteto. Quando me convidaram para projetar o Quarto do Menino, de 25 m2, na Casa Kids, não tive dúvida: pensei em construir um espaço temático, como se o quarto fosse uma grande espaçonave." Foi assim que o arquiteto Aquiles Nicolas Kílaris descreveu de onde surgiu a ideia para criar esse espaço cibernético. Ele destaca as linhas curvas, uma das principais características do profissional, a cama em formato de nave, o teto e a parede que imitam uma janela, com vista para o espaço, e a tela de LCD como se fosse um grande painel de controle da nave. "A ideia era que a criança tivesse a sensação de estar vivendo uma grande aventura ao entrar no quarto", explica Aquiles.