Quarto do filho vira home office

Marcelo Lima - O Estado de S. Paulo

Arquiteta Ana Weege apresenta projeto desenvolvido especialmente para nossa leitora

A planta do ambiente

A planta do ambiente Foto: Ana Weege Arquitetura e Design de Interiores

Com a saída de seu filho de casa, nossa leitora pretende transformar o quarto dele em escritório. Para ajudar na tarefa, recebeu este projeto exclusivo assinado pela arquiteta Ana Weege. E você? Tem dúvidas de como decorar? Escreva para meuprojetonocasa@estadao.com

PERGUNTA

Olá, Caderno Casa! Me chamo Vilma Teles, sou advogada e moro com meu filho no Alto da Lapa. No meio deste ano, ele vai morar sozinho, desocupando seu atual quarto. Por isso, tive a ideia de usar o espaço com um escritório doméstico. Sei que vou precisar de escrivaninha ou mesa, poltrona e estante para minhas pastas. Penso em comprar móveis novos e gostaria de um ambiente de fácil manutenção. Gosto muito de madeira. Vocês podem me ajudar?

Vilma Teles

São Paulo - SP

A área da escrivaninha, com painel para fixação de recados

A área da escrivaninha, com painel para fixação de recados Foto: Ana Weege Arquitetura e Design de Interiores

RESPOSTA

Oi, Vilma, tudo bem? Sempre procuro entender ao máximo as expectativas dos meus clientes, imagino que o seu desejo seja logo ocupar a falta que o seu filho irá fazer. Prazer poder ajudar nessa sua nova etapa de vida. 

Pensando nisso, quero propor algo leve, colorido e aconchegante. Optei por elementos com custo acessível, como a telha ondulada de fibrocimento. A ideia é revestir todo o quarto com essas placas fixadas lado a lado, em sentido vertical, e pintadas com um verde acinzentado, atingindo a parte inferior da janela. As ondas trarão movimento ao ambiente. Para o restante da parede, entre o teto e a telha, sugiro um tom de cinza amarronzado. 

Telha reveste parede até a altura da janela

Telha reveste parede até a altura da janela Foto: Ana Weege Arquitetura e Design de Interiores

Na carta, você menciona gostar de madeira. Por isso, selecionei uma escrivaninha maciça bem clarinha. As prateleiras, que margeiam a bancada de trabalho, foram projetadas para serem fixadas na parede. Para a janela, no lugar de cortinas, um elemento vazado controlaria a entrada da luz. Esse painel deslizaria sobre trilhos, para ambos os lados, continuando pela parede oposta à da mesa de trabalho.

A arquiteta Ana Weege

A arquiteta Ana Weege Foto: Rafael Renzo

Escolhi uma poltrona de couro bem confortável e também uma cadeira com rodízios. Pensei em um tapete com cores que fossem contrastantes e em um painel de cortiça na parede da escrivaninha, para que você possa anexar lembretes. Amo plantas, então elas não ficaram de fora, pois são vida. Espero que goste!