Projeto de casa na Bahia aproveita iluminação natural e integra área interna com a externa

Marcelo Lima - O Estado de S. Paulo

Casa na Praia do Forte, em Mata de São João, traz estrutura de eucalipto aparente nas fachadas

Vista de frente da casa de Praia do Forte.

Vista de frente da casa de Praia do Forte. Foto: Divulgação/Xico Diniz

Reformar uma casa localizada na praia, de frente para a Mata Atlântica, é um desafio que envolve integrar as áreas interna e externa. “É fundamental que a arquitetura dialogue com o seu entorno”, considera o arquiteto Sidney Quintela, autor do projeto desta casa na Praia do Forte, no município de Mata de São João, circundada por nada menos que uma restinga de Mata Atlântica. “Sem dúvida que esta condição determinou a opção por grandes aberturas capazes de promover a plena integração entre as áreas internas e externas”, afirma ele.

A legislação define índices de ocupação relativamente baixos para imóveis construídos na Praia do Forte, no município de Mata de São João.

Houve, portanto, um certo esforço do arquiteto para adaptar a obra às metragens possíveis. Nada porém que não pudesse ser compensado pela integração entre as áreas internas e externas da casa.

“Além das dimensões, o condomínio possui uma série de restrições que limitam a escolha dos materiais e o estilo arquitetônico”, afirma o arquiteto Sidney Quintela, autor do projeto desta casa de veraneio, de 340 m² que, seguindo a linguagem adotada no local, traz estrutura de eucalipto aparente nas fachadas e cobertura de telhas de madeira.

Garantida por grandes painéis de vidro, a intensa iluminação natural é mantida sob controle por meio de venezianas que, ao mesmo tempo em que permitem a entrada de ventilação natural, bloqueiam a incidência direta da luz solar. Uma condição otimizada ainda mais pelos beirais avantajados do telhado, que não só modelam, como ampliam ainda mais as condições de conforto térmico.

Veja as fotos do resultado: