Primavera o ano todo

Marcelo Lima - O Estado de São Paulo

Para celebrar a nova estação, conheça 10 flores de fácil cultivo e que florescem o ano todo

Plantas de florescimento perene, em ambiente decorado por Gabriela Nora

Plantas de florescimento perene, em ambiente decorado por Gabriela Nora Foto: Felype Araújo

O inverno chega ao fim e a estação mais florida do ano, a primavera, já tem hora para chegar. Precisamente, na terça-feira, 22, às 10h31, segundo o IAG, Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas, da Universidade de São Paulo, USP. Com precisão de um minuto, para mais, ou para menos. 

Período ligado a ideia de renovação, em que as flores explodem em cores e os pássaros voltam a cantar, este ano, ela se reveste de um simbolismo ainda mais especial. Afinal, estamos apenas começando a sair de um longo período de isolamento, ainda inseguros em relação ao futuro, mas ansiosos por dias mais longos, noites mais quentes, e, na medida do possível, por um maior contato com a natureza. Tudo, enfim, que a estação tem para proporcionar. 

“Não apenas a procura por flores, mas o interesse pelo cultivo delas cresceu muito durante os dias de quarentena. Percebemos em nossos clientes um desejo de não apenas decorar com as chamadas flores de corte – designação dada aos botões florais comercializados cortados –, mas de aprender a cultivar as plantas”, conta Gabriela Nora, proprietária da Galeria Botânica, (@_galeriabotanica). 

“Existe uma grande variedade de espécies perenes, que podem ser cultivadas em vasos e que, além disso, florescem o ano todo”, afirma a engenheira ambiental Brenda Dias. Como vantagens adicionais, segundo ela, a maioria dispensa manutenções frequentes, são de grande potencial ornamental e se desenvolvem bem em interiores.

“São vegetais em geral mais resistentes, que não precisam de solos intensamente adubados e demandam menos cuidados em relação a regas e podas – não confundir com ‘nenhum cuidado’”, pontua Brenda. 

A engenheira explica que, para boa parte delas, regas de duas vezes por semana são mais do que suficientes. “O ideal é sempre seguir o método do ‘dedômetro’. Ou seja, verificar se a terra está úmida e só então regar”, diz. 

A facilidade de cultivo, porém, não foi o único atrativo que levou o designer gaúcho Rodrigo Grauncke a começar a cultivar seu vaso de lavandas há pouco mais de um ano. 

“O crescimento foi espantoso e não tive de me preocupar em adubar a terra para o plantio. Quando não chove, duas regas semanais são mais do que suficientes”, relata ele. 

Claro que não ter de se ocupar de manutenções constantes pesou na escolha, mas o que mais atraiu o designer foi o perfume emanado pela planta. “O aroma é realmente inconfundível. Perfuma o ambiente, mas sem pesar”, diz.

“Às vezes é a cor, às vezes é o formato, às vezes é só o perfume”, explica Gabriela Nora, quando o assunto é uma de suas atividades favoritas: preparar a casa para a chegada da primavera.“Sempre que possível, sugiro trabalhar com vasos de diferentes alturas, para que todas as flores ganhem destaque”, resume.

Se como ela, você também pretende aproveitar a nova estação para encher sua casa de flores, esqueça um pouco das tradicionais rosas e orquídeas. Fáceis de cultivar, as plantas perenes que ilustram esta página podem muito bem dar conta do recado. Sem esquecer de que, com elas, a primavera não tem hora para acabar.

 

DOS CANTEIROS, DIRETO PARA OS VASOS

Verbena

Verbena Foto: Felype Araújo / Galeria Botânica

Verbena: Formando pequenas moitas, apesar da baixa estatura, é bastante resistente e de floração abundante. Mas exige exposição direta ao sol.

Onze-horas

Onze-horas Foto: Felype Araújo / Galeria Botânica

Onze-horas: Suas flores se abrem apenas quando a luz do sol é intensa, daí o seu nome. É uma flor que produz efeito, 

tanto quando plantada em vasos quanto em jardineiras.

Antúrio

Antúrio Foto: Felype Araújo / Galeria Botânica

Anturio: Suas flores apresentam intensa variação de cores, indo do vermelho ao rosa-claro. Deve ser cultivada em 

ambientes claros, mas sem incidência direta de luz solar. 

Ixora

Ixora Foto: Felype Araújo / Galeria Botânica

Ixora: Trata-se, na verdade, de um arbusto, mas produz flores de grande potencial ornamental, em tons de laranja, amarelo ou 

vermelho. Prefere áreas de sol pleno.

Lantana

Lantana Foto: Felype Araújo / Galeria Botânica

Lantana: Já pensou em contar com flores de diferentes cores em uma mesma planta? A lantana tem flores pequenas e coloridas, perfeitas para seu jardim de vasos. Mas precisam de pleno sol. 

Petúnia

Petúnia Foto: Felype Araújo / Galeria Botânica

Petúnia: Uma das melhores opções para quem quer ter vasos sempre floridos. É bastante tolerante ao calor, mas, em locais muito 

quentes, deve ser mantida à meia-sombra.

Capuchinha

Capuchinha Foto: Felype Araújo / Galeria Botânica

Capuchinha: Agrada tanto aos olhos quanto ao paladar, podendo ser empregada na preparação de alimentos. Necessita apenas de incidência direta de sol. 

Hibisco

Hibisco Foto: Felype Araújo / Galeria Botânica

Hibisco: É uma das flores mais indicadas para cultivo doméstico, se adaptando bem tanto a ambientes iluminados quanto à meia-luz. Evite apenas a exposição direta aos raios solares.

Hibisco

Hibisco Foto: Felype Araújo / Galeria Botânica

Azaleia: Versátil e resistente, se adapta bem ao cultivo em vasos, desde que eles recebam incidência direta de luz solar e estejam protegidos de ventos e chuvas.

Azaleia

Azaleia Foto: Felype Araújo / Galeria Botânica

Lavanda: Fácil de cultivar, oferece um atrativo a mais: seu perfume inconfundível. Necessita apenas da incidência de luz solar direta, por ao menos algumas horas do dia.

Lavanda

Lavanda Foto: Felype Araújo / Galeria Botânica