Piso de madeira: dicas sobre a instalação

Gabriel Navajas, especial para o Estado - O Estado de S.Paulo

Escolha deve levar em consideração o ambiente a ser colocado

Sala de televisão de projeto assinado por Fernanda Negrelli

Sala de televisão de projeto assinado por Fernanda Negrelli Foto: Martin Szmick

Um ambiente acolhedor, quente, com sensação de conforto e praticidade. Esses são alguns dos benefícios para quem opta pelo piso de madeira. Seu uso, no entanto, é recomendado apenas para determinados locais da casa.

“Basicamente, pisos de madeira são usados em área íntima”, conta a arquiteta Fernanda Negrelli, que sempre usa a solução em seus projetos. “Podem ser colocados em quartos, salas íntimas. Em 100% das vezes, porque é um piso quente.”

Para a arquiteta, a escolha pela madeira deve ser levada em conta, também, por mais alguns fatores importantes. “É recomendado, inclusive, quando o cliente tem criança pequena. Pode-se optar por cumaru e sucupira (tipos de madeira), se a casa tiver crianças. São tipos mais duros, marcam menos. Não se deve usar (piso) laminado porque é fino, faz barulho. A madeira valoriza a casa, é outro padrão”, afirma a especialista.

Ainda de acordo com Fernanda, é possível ousar mais caso a residência seja habitada apenas por adultos. “Optamos pelo carvalho americano, um pouco menos resistente, mais mole, que marca mais. Dá para usar peroba também”, ressalta.

Normalmente, os consumidores enxergam facilmente as vantagens habituais do piso de madeira, mas há outra que pouca gente conhece: o cliente pode mudar a cor, conforme explica Fernanda Negrelli.

“Geralmente, as pessoas seguem sempre o padrão. Porém, hoje em dia, o mercado traz essa coisa de trabalhar a coloração. Há a possibilidade de lustrar o piso, de tingi-lo. Existem opções de coloração. Antes, todo mundo ficava engessado. Agora, pode-se mudar a cor”, diz.

Instalação da RB Pisos mostra como a aplicação pode ‘aquecer’ o local

Instalação da RB Pisos mostra como a aplicação pode ‘aquecer’ o local Foto: Marco Antonio

Mas, apesar dessa novidade, é necessário ter atenção ao processo para que a alteração seja feita de forma correta, sem riscos para o ambiente. Fernanda Negrelli alerta: “O profissional que realiza o tingimento tem de ter uma especialização, não é qualquer empresa que pode fazer. Eles lixam de novo o chão e trabalham a cor da preferência do cliente. Apenas o rodapé, que é laqueado, permanece com a cor da marcenaria”, analisa a especialista.

Em média, o preço do metro quadrado do piso varia de R$ 200 a R$ 500 – a escolha da madeira influencia. “É tudo uma questão de bolso. Existe, também, a opção dos taquinhos, que são bem mais baratos porque eles são uma mistura de materiais. Fica em torno de R$ 120”, completa a arquiteta.