Pessoal e identificado

Marcelo Lima - O Estado de S.Paulo

Em sua segunda edição, feira Made passa em revista o design produzido na fronteira da arte, no Brasil e no exterior

Pendentes Berimbau, do Atelier Ban

Pendentes Berimbau, do Atelier Ban Foto: divulgação

De quarta-feira até 9 de novembro, no Jockey Club de São Paulo, acontece a Made – Mercado, Arte, Design, feira com a curadoria do crítico de arte Waldick Jatobá que apresenta, pelo segundo ano consecutivo, as novas criações de designers convidados do Brasil e do exterior. Voltado para profissionais que atuam nos segmentos de peças únicas ou confeccionadas em pequenas séries, o evento se dirige tanto a colecionadores quanto ao público interessado em design e disciplinas convergentes, como arquitetura e artesanato.

Banco de aço inx e compensado, do estúdio Cultivado em Casa

Banco de aço inx e compensado, do estúdio Cultivado em Casa Foto: divulgação

Nesta edição, a Made promete uma exposição em comemoração ao centenário de nascimento da arquiteta modernista Lina Bo Bardi, ressaltando seu olhar sobre a arte e o artesanato brasileiros, além de dois pavilhões temporários. O primeiro, assinado pelo arquiteto japonês Sou Fujimoto, vai apresentar um tapete feito com mais de mil lâmpadas. O segundo, criado pelo americano Jason Klimoski, trará uma instalação com cerca de 10 mil garrafas plásticas. Ambos os trabalhos abordarão o tema “Arquitetura Efêmera”. Completando a lista, a inglesa Bethan Laura Wood traz sua nova coleção, de peças de madeira, e Michael Young será nomeado Designer do Ano. 

Armário de Paulo Goldstein

Armário de Paulo Goldstein Foto: divulgação