Perfume de gardênia e outros mais

Yara Guerchenzon - O Estado de S.Paulo

Riqueza de aromas e cores. Sob o sol de Campinas, um jardim inspirador para 2008, o de Alexandre Galhego

Para dar forma, cor, aroma e vida ao jardim desta casa, num condomínio fechado de Campinas, o paisagista Alexandre Galhego (engenheiro agrônomo e mestre em Botânica) investiu na mistura de espécies. "O objetivo é enriquecer a residência da entrada à piscina", explica.Nos 600 m² (da área de 1.000 m² do terreno), flores salpicadas aqui e ali exalam uma mistura de perfumes: são camélias (R$ 25 a muda, na Uemura), gardênias, damas-da-noite (R$ 15 a muda, idem), jasmins e lavandas. E das árvores frutíferas, não há como desprezar as pitangas, romãs e jabuticabas. Aliás, ter frutas ao alcance das mãos foi um pedido do casal de proprietários, que já morou nos Estados Unidos e na Bélgica por conta de trabalho (ele é executivo de multinacional). De volta ao Brasil, eles faziam questão de viver em meio ao verde, de leve inspiração toscana. Gramado amplo (a grama esmeralda custa cerca de R$ 5,80 o m², na Carmem Plantas) também era indispensável para o lazer da numerosa família, especialmente para as brincadeiras dos netos, ainda pequenos.Quem chega à casa é, portanto, recebido por gerânios pendentes da sacada e três palmeiras trachicarpus de cerca de 4 m de altura (com 1 m, custa R$ 400 cada exemplar, na Carmen Plantas), com orquídeas ao redor dos troncos. Bromélias imperiais, moréias floridas, azaléias-bola e vasos de minirrosas pontuam o chão de granito apicoado. No terreno em declive, spots iluminam buxinhos podados (a partir de R$ 50, com 30 cm de diâmetro, idem), com forração de pedriscos, que ladeiam a escada de acesso à porta de entrada.Seguindo pela lateral direita, onde a parede é enfeitada com quadro floral entalhado em madeira (obra similar, com 65 cm x 80 cm, por R$ 649, na Oficina de Agosto), o caminho é colorido pela forração de marias-sem-vergonha até alcançar a varanda. É nesse espaço aberto para o gramado que, nos dias de calor, a família se reúne em torno da mesa mineira e antiga. Bem em frente, as palmeiras ravenalas (espécie de bananeira ornamental) dão o toque tropical.Da varanda à piscina, o deck de ipê une os espaços de lazer com a mesma linguagem. A madeira contrasta com a pedra São Tomé, na borda da piscina. "Combinações de materiais com cores e texturas diferentes resultam em volumetria e leveza", enfatiza Galhego. Ali, também as palmeiras imperiais criam a sensação de volume e delimitam a área de banho, onde uma coluna de jasmim se destaca entre cicas e agapantos.Junto ao muro lateral terracota, na quina do fundo, camélias alternam-se com placas de xaxim, ali dispostas por escolha da proprietária. Aliás, é ela quem cuida de cada exemplar do orquidário (muda a partir de R$ 12, no Orquidário Morumby) instalado na pérgola próxima ao deck. No limite do terreno, o muro baixo (de cerca de 1,30 m de altura) se prolonga com um alambrado coberto por primavera, junto de mussaendas (branca, com 70 cm, cerca de R$ 30, na Carmem Plantas) e bananeira ensete (a "falsa" banana).