Paris mais jovem

Maria Amália Schmidt de Oliveira - O Estado de S.Paulo

Carré Rive Gauche, mostra organizada por mais de 100 galerias francesas, abre espaço para o contemporâneo

Todos os anos, no final de maio, mais de 100 galerias de arte e antiguidades apresentam um mix de peças (de móveis da Renascença aos do século 21, além de pinturas, esculturas, porcelanas, prataria e tapetes) capaz de atrair colecionadores, decoradores e amantes das artes de várias procedências. É o Carré Rive Gauche, que ocupa, por três dias, 12 quarteirões na margem esquerda do Sena. No caso da recém-concluída 30ª edição, o Carré chamou a atenção por espelhar um "rejuvenescimento" ao abrir espaço sobretudo ao design do século 20 e à arte contemporânea. "Estou aqui há dois anos e meio e venho constatando a chegada de jovens marchands. O Carré Rive Gauche se renova e vai continuar a surpreender", diz Edouard Demanchy, da Galeria D-Room. Foi iniciativa dessa galeria (29 rue de Lille) a exposição da Formula One - móveis e objetos do designer Olivier Garcia, que trabalha com materiais da indústria automobilística. Outro designer, Eric Allart, também galerista (8 rue de Beaune), apresentou Metalic, série de espelhos de metal que faz releitura dos clássicos. Nicolas Denis (32 rue de Lille) trouxe a poltrona-escultura criada por César Baldaccini (1969), enquanto Alain Fradine e Robert Labrosse (13 rue de Lille) - especialistas em mobiliário dos anos 1960-70 - apresentaram a chaise longue Chariot, de Paul Tuttle. Estrutura tubular de aço cromado e assento de couro marrom, é criação de 1972 que já se tornou um ícone. A Galerie Dumonteil (38 rue de l?Université), conhecida por sua aposta em escultura figurativa do século 20, destacou obras de bronze de Jean-Marie Fiori; e France de Forceville (5 rue de Beaune), peças do ceramista francês René Buthaud. A arte abstrata de Yves Millecamps teve sua versão em tapeçarias tecidas em Aubusson (1968) apresentadas pela Galerie Chevalier (17 quai Voltaire). E a obra de Auguste Macke também serviu de inspiração à produção de um tapete contemporâneo - destaque exibido pela Galeria Robert Four (8 rue des Saints-Pères).