Para entender ecologia

- O Estado de S.Paulo

Casa Kids. Sustentabilidade é a palavra da vez. Suíte da Menina propõe até compensar emissão de carbono

Feito para menina. No espaço para receber as amigas, pequenas poltronas Barcelona e mesa de centro espelhada, da Hits Kids’n’Teens.

 

 

Voltada para a produção de ambientes infanto-juvenis (quartos, casas de bonecas, áreas de lazer), a Casa Kids é uma exibição à parte na Casa Cor. O evento expõe 14 ambientes elaborados por 22 profissionais e, aos sábados e domingos, das 15 às 19 horas, ganha oficinas gratuitas de gastronomia, arte, beleza e cultura - a fim de manter os pequenos ocupados enquanto os pais passeiam pelos projetos de adulto. A mostra é um dos quatro eventos simultâneos que fazem parte da Casa Cor São Paulo, que vai até 13 de julho, no Jockey Club, e tem ambientes que refletem o cotidiano familiar, como a Suíte da Menina, das sócias Elisa Gontijo, Gleice Santiago e Mariana Bottini, e o Quarto dos Meninos, da arquiteta Camila Dias Domingues.

 

Tudo rosa. Concebida para meninas de 4 a 8 anos que sonham em ser princesas de um mundo melhor, a Suíte da Menina é marcada pelo encanto e engajamento. Ao entrar, o visitante encontra o cor-de-rosa em quase tudo - da cama ao telefone - no interior de um castelo de marcenaria adesivado com ilustrações da artista Camila Crosta. Subindo as escadas, o espaço de brincar funciona como um divertido esconderijo. Saindo da área lúdica, o espaço é dividido entre as funções de estar, dormir e estudar. O tapete rosa com brilho, da By Kamy, e o piso, que recebeu uma camada de tinta com glitter desenvolvida em parceria com a Suvinil exclusivamente para o evento, ajudam a dar um tom mágico.

 

O engajamento da criança com a proteção do meio ambiente fica por conta dos espaços destinados ao lixo reciclável. "Pensamos em uma menina que vai crescer com essas questões, que será preocupada com a natureza", afirma a arquiteta Mariana Bottini.

 

Para compensar a emissão de CO2 durante a obra e o período da mostra, a ZERO11, escritório das arquitetas, criou um projeto de característica sustentável que consiste na separação e reciclagem de todo o resíduo produzido e no plantio de mil mudas de árvores em uma fazenda de preservação ambiental. Este projeto foi desenvolvido pelo gestor ambiental, Antonio Carlos Matarazzo. "Infelizmente isso ainda é muito caro e o cliente não vai querer gastar R$ 30 mil a mais para compensar a emissão de CO2. Mas procuramos fazer a nossa parte", admite Mariana.

 

Quarto dos Meninos. Sobre as camas, mezanino que dialoga com a pintura de um barco; na parede, mapa-múndi para brincar e aprender.

 

 

Clube do Bolinha. Pensando em seus filhos e tendo como referência sua própria casa, a arquiteta Camila Dias Domingues desenvolveu o Quarto dos Meninos de maneira lúdica e também consciente. "Pensei em um tema que não fosse efêmero, o pirata. Ninguém quer redecorar tudo de dois em dois anos", afirma a arquiteta Camila. "O sustentável também está em escolher um ambiente durável. Escolhi cores, como o vermelho, o bege e o cáqui, que não são muito infantis", argumenta. Pensando em materiais corretos, ela usou tijolo de demolição aparente e piso vinílico, no espaço de 33 m² da Casa Kids.

 

A grande atração fica por conta da pintura em lona de um barco pirata, do Ateliê Vanessa Guimarães, na cabeceira das camas. Um mezanino feito com madeira de reflorestamento sai dessa pintura, como parte do barco, para fazer uma brincadeira com o 3D. Para chegar ao mezanino, uma escada em forma de mastro.

 

Outros atrativos estimulam a interatividade, como um painel com o mapa-múndi pintado em lona com um fundo de metal que permite o uso de imãs. As crianças podem colocar fotos, bilhetes e interagir com o "mundo". Há também uma mesa de atividades que ganhou um rolo de papel que vai sendo cortado na medida em que os pedaços são usados. "Em quarto de criança, não gosto de coisas meramente decorativas, penso na liberdade de fazer bagunça."