Para causar impacto

Olívia Fraga - O Estado de S.Paulo

Daniel Nunes cria jardim monocromático em Campinas, onde se destacam palmeiras imperiais

Pegar a estrada em direção ao interior muda o humor de qualquer um - incrível como o céu ganha cor logo que se alcança destinos nem tão afastados assim da capital. No bairro de Gramado, a leste do centro de Campinas, o azul do céu reina soberano sobre a paisagem. A tal ponto que o paisagista Daniel Nunes só teve uma alternativa: criar algo de igual impacto ao trabalhar o jardim da casa de dois andares, obra das arquitetas Paula Sauer e Roberta Homem de Mello. Para tanto, decidiu plantar, logo de início, três palmeiras imperiais no limite do lote comprado pelo casal de cerca de 30 anos.

A casa, num condomínio golfe, é resultado de uma autêntica "peregrinação" atrás de um imóvel, tantas haviam sido as mudanças do casal até então. Primeiro, eles se casaram e alugaram um apartamento. Como o primogênito veio logo, foi preciso mudar para um lugar com mais um quarto. Depois, chegou o segundo filho - e, com ele, a necessidade de uma casa ainda mais espaçosa.

Com a compra do terreno acertada, os donos chamaram Nunes, da mesma faixa etária. "Quando os clientes são jovens, o projeto fica mais arrojado", admite ele. O casal aceitou a proposta "monocromática", de uso comedido de espécies, na contramão do que ele chama de "escola paulista", inspirada nas obras cheias de cores e texturas de Burle Marx. Os canteiros de begônias, aliás, só são vistos na entrada, junto às cicas. Para "não matar a fachada", como afirma o paisagista, apenas quatro kaizucas.

 

O projeto paisagístico de 805 m² foi pensado durante a construção da casa, o que facilitou as intervenções. Há uma mistura de plantas imponentes e áreas livres calçadas de granito branco (R$ 32 o m², na Pedramista), em torno de elementos construtivos que fazem a transição da casa para a parte externa. Assim surgiu a piscina em dois níveis revestida de pastilhas azul-cobalto. Ela concorre com a visão magnética das palmeiras imperiais de quase 10 metros de altura (a muda com 3,5 m custa R$ 300, na Arboreto).

Espelhos d?água ladeiam a varanda coberta e a área envidraçada da churrasqueira. Destacam-se, ao lado, podocarpos (R$ 20 a planta com 1,50 m a 1,80 m, na Natus Verde) envolvidos em canteiros de moreias brancas, além das lavandas, flor predileta do paisagista. "Sempre que venho aqui, colho algumas e jogo na piscina. Tudo fica perfumado", garante. Por falar em aroma, na parte mais elevada do terreno, já perto das palmeiras, uma faixa de jasmins-do-cabo contorna o deck de madeira, onde os moradores costumam passar o tempo, observando as partidas de golfe da vizinhança.