O melhor do design brasileiro na loja do MoMA

Olívia Fraga - O Estado de S.Paulo

'Destination: Brazil' destaca 75 produtos para casa, joalheria e decoração

A partir de 3 de maio, a loja do MoMA de Nova York coloca à venda o melhor do design brasileiro dos últimos anos. De forma inédita, a coleção "Destination: Brazil" destaca 75 produtos para casa, joalheria e decoração, escolhidos pela organização do museu em visita ao país em 2008, durante a mostra Marco 500.

"Em nosso acervo permanente já existem peças de design brasileiro; conhecemos o trabalho de Arthur Casas e outros, portanto, o interesse no Brasil já existia", diz Bonnie Mackay, diretora de marketing do MoMA Retail. Ela lembra que a loja já revende, por exemplo, a luminária Eclipse, de Maurício Klabin (também em exposição no museu) e as bolsas Flip-Flop, de Francisca Ribeiro de Souza. "Nosso foco era destacar o design inovador em forma, função, material e em processo de fabricação. No Brasil, havia também interesse em ir atrás do que representasse a cultura e a tradição locais."    

1.Fruteira Centopeia, exclusividade do MoMA, criada por Gustavo Engelhardt, Daniel Castelo e Diego Costa. Por US$ 275; 2. Banco Mocho, de Sergio Rodrigues. De madeira, será vendido por US$ 550; 3. Vaso Raku, da carioca Taciana Amorim, feito com técnica japonesa do século 16. Por US$ 125; 4. Cesta Blow-up, dos irmãos Campana. Feita de aço inox, pela Alessi, vai custar US$ 100; 5. Vaso Solitude, de Ricardo Saint-Claire, pelo estúdio Diálogo. De fórmica, vidro e giz, a superfície pode ser usada como lousa. Por US$ 75.

Alguns itens desembarcam nos Estados Unidos pela primeira vez, caso da fruteira Centopeia (por US$ 275; à venda no www.centopeia.desfiacoco.com, custa R$ 400), dos jovens designers curitibanos da Desfiacoco, que recentemente recebeu o conceituado prêmio alemão iF Design. Criada em 2004 e feita de madeira, a Centopeia chega a Nova York na versão de fibra natural e polímero.

Além dela, a cerâmica de Kimi Nii, uma nova peça da linha Sushi dos Irmãos Campana e clássicos como a poltrona Paulistano, de Paulo Mendes da Rocha, e o banco Mocho, de Sergio Rodrigues (US$ 550; na Dpot por R$ 863).