Novas luminárias investem em formatos e materiais inusitados

Marcelo Lima - O Estado de S.Paulo

Participar ativamente da decoração: esse parece ser o objetivo primordial da nova safra de luminárias decorativas

Na coleção de Cristiana Bertolucci, e Sérgio Cabral, as bolhas no interior da massa de vidro são formadas pelo calor ao qual o produto fica exposto durante sua confecção

Na coleção de Cristiana Bertolucci, e Sérgio Cabral, as bolhas no interior da massa de vidro são formadas pelo calor ao qual o produto fica exposto durante sua confecção Foto: Cristiana Bertolucci Estúdio

Participar ativamente da decoração. Esse parece ser o objetivo primordial da nova safra de luminárias decorativas que acaba de chegar ao mercado ostentando assinaturas de peso. Diferentes em suas propostas, materiais e técnicas, elas só falam a mesma língua quando surgem iluminando os mais diversos ambientes. A partir daí, é impossível, a qualquer uma delas, passar desapercebida. No caso do arquiteto goiano Leo Romano a inspiração para compor a linha Ball Up, da Klaxon, veio da infância. Especificamente do movimento dos balões a gás que tocam o teto após se soltarem das mãos das crianças.

Com aparência de ‘água endurecida’ a não menos impactante coleção Sólido Etéreo, dos designers Cristiana Bertolucci e Sérgio Cabral, traz peças únicas, desenvolvidas a partir de vidro soprado combinado a outros materiais. Por fim, a Labluz convidou o designer Paulo Alves para assinar sua primeira coleção autoral e o resultado não poderia ser outro: um delicado trabalho de marcenaria e encaixes, na melhor tradição do móvel modernista brasileiro. 

 

Na coleção de Leo Romano, as cúpulas parecem estar 'beijando' o teto, enquanto que as hastes, logo abaixo, remetem aos cordões que ligam às crianças aos seus balões

Na coleção de Leo Romano, as cúpulas parecem estar 'beijando' o teto, enquanto que as hastes, logo abaixo, remetem aos cordões que ligam às crianças aos seus balões Foto: Klaxon