Na pandemia, realities shows de decoração adotam formato remoto

Ana Lourenço - O Estado de S.Paulo

Com maior popularidade, profissionais e emissoras apostam no 'faça você mesmo' e garantem extensões dos conteúdos em suas redes sociais

Eva Mota, do ‘Você Renova’, que estreia hoje no Discovery Home & Health: participantes botam a mão na massa

Eva Mota, do ‘Você Renova’, que estreia hoje no Discovery Home & Health: participantes botam a mão na massa Foto: Kelly Fuzaro/Discovery

A base dos realities shows de decoração, de forma geral, é a mesma: um profissional e sua equipe realizam um projeto de interiores para um personagem ou família baseado em suas necessidades. Porém, durante a pandemia, alguns programas decidiram se apoiar na tecnologia e apostar no “faça você mesmo” para ir além.

“Eu tive que confiar muito no meu ‘taco’ como designer de interiores para fazer um projeto totalmente distante”, confessa Eva Mota, que assumiu o desafio de comandar o programa Você Renova, que estreia hoje (14), às 21h30, no Discovery Home & Health. “Da minha oficina eu converso com os personagens. Tenho um primeiro contato para saber como é o ambiente, quais são as expectativas, quais são as principais necessidades… E então eles recebem um kit para essa transformação, com tintas, ferramentas e um minirroteiro escrito”, explica Eva.

De acordo com o Discovery Home & Health, entre os dez shows de maior audiência do canal em 2020, sete são do gênero de Casa & Decoração. Só este ano, os programas com essa temática foram sintonizado por mais de 12 milhões de pessoas diferentes no canal. “O tema sempre foi um dos pilares do Discovery Home & Health, que carrega a palavra ‘casa’ em seu nome desde que estreou, em 2005. Nós já apontávamos para uma tendência, mas foi nos últimos anos que ela se consolidou, com crescimento de 80% de audiência entre o público feminino”, conta Monica Pimentel, vice-presidente de conteúdo da Discovery Networks Brasil. 

Como todo bom reality, o Você Renova traz um fator surpresa. Apesar de executarem a maioria das tarefas para a reforma da casa, os participantes não têm a visão geral do projeto criado por Eva. Assim, eles seguem o roteiro, sem saber qual será o resultado final. “Por um lado, pensar o programa dessa forma foi positivo para encorajar as pessoas e mostrar os erros que acontecem, as dificuldades”, diz ela que ainda desenvolve móveis especiais para cada família. Dois dias depois do primeiro contato, os personagens deixam de botar a mão na massa, saem de casa e Eva vai até o local para fazer um arremate final. “É aí que o ambiente ganha a vida que ele tem.” 

Jornalista de formação e muito ativa nas redes sociais, Eva foi chamada pela emissora por sua comunicação e forma de lidar com o público em seu Instagram. Os ensinamentos e conselhos da profissional se estendem para as plataformas digitais do canal. Afinal, as redes sociais se tornaram lugares sagrados para inspiração e aprendizados do tema. Foi ali, na internet, que o influenciador Matheus Ilt também foi descoberto. Apesar de ser jornalista e fotógrafo, ele seguiu na área de decoração por influência de seu pai. “Isso vem desde a minha infância, quando acompanhava meu pai, que é um faz-tudo – pedreiro, eletricista, pintor, marceneiro –, nas obras. Desde então aprendi um pouco de cada ofício”, conta.

Após participar do Missão Design, um pequeno reality show de reformas do próprio GNT, Matheus foi convidado a comandar o programa Arrasta Móveis na emissora. Com dez episódios de sucesso na primeira temporada, o canal estuda uma segunda temporada para a atração, ainda sem previsão de data. “Ter um programa de auxílio remoto é uma ideia que o GNT tinha antes mesmo de 2020. Aliás, quero contar que tudo foi realmente a distância! A única pessoa de toda a produção que cheguei a ver ao vivo foi o Haroldo, o motorista que trazia e levava os materiais e equipamentos”, ressalta.

Do seu estúdio, Matheus Ilt comandou a primeira temporada de sucesso do Arrasta Móveis

Do seu estúdio, Matheus Ilt comandou a primeira temporada de sucesso do Arrasta Móveis Foto: GNT

Com o fim da primeira temporada de Arrasta Móveis, o horário do programa ficou para o Decore-se (às terças, 22h), uma repaginação do programa Decora, antes apresentado pelo arquiteto Maurício Arruda. Quem toma as rédeas é a criadora de conteúdo e arquiteta Stephanie Ribeiro, que prova que o “faça você mesmo” vai além de pintar algumas paredes. 

Na prática, o que difere os três programas são os detalhes e o olhar de cada apresentador. Todos são feitos remotamente, incentivam o participante – e o público – a transformar com as próprias mãos os ambientes da casa e são apresentados por influenciadores digitais. O que indica uma tendência da migração da internet para a TV. 

"As emissoras têm nas redes sociais uma cartela super-rica de pessoas que fazem e produzem as mais variadas coisas. E tudo que é audiovisual tem potencial multiplataforma. Então o intercâmbio TV-internet fica cada vez mais comum”, coloca Matheus, que frequentemente aparece na página @casagnt com dicas – canal criado pela emissora para justamente mostrar conteúdos relacionados com o tema.

Além do formato remoto possibilitar a execução das séries em tempos de pandemia, garante uma distração para o consumidor em um período de tantos medos e incertezas. Segundo o GNT, desde o início da quarentena, os programas de decoração e organização já alcançaram mais de 9,9 milhões de pessoas diferentes na TV. Já no YouTube do Casa GNT, a quantidade de views nos vídeos aumentou em seis vezes mais e a média diária de visualizações foi dobrada. 

“Não podemos ignorar que nesse momento, com as pessoas mais limitadas aos espaços de suas casas, aquelas coisinhas que sempre ficavam para depois começaram a incomodar. Nesse movimento, há uma ressignificação da relação com o lar, buscando formas de deixá-lo mais bonito, prático e acolhedor”, diz a gerente de conteúdo do GNT, Suely Weller. 

Competição. Outra característica dos realities é a competição. E foi nisso que o arquiteto Renato Mendonça, do programa 24 Horas para Redecorar, da Discovery, investiu para a sua segunda temporada, que estreia dia 23 de novembro, às 21h20.

Com o nome 24 Horas para Redecorar: Profissionais, o programa passa a ser uma competição entre duas equipes por episódio. “A gente quis trazer um desafio ainda maior para quem está participando. Então, os profissionais com quem estamos falando são todos aqueles relacionados a área de arquitetura e design de interiores”, explica Renato, que recebe o projeto feito pelos participantes e devolve com algumas observações – as quais eles podem acatar ou não. Feito isso, as equipes têm 24 horas corridas para entregar o resultado.

Antes autor dos projetos, agora Renato Mendonça faz a mentoria dos ambientes apresentados no programa

Antes autor dos projetos, agora Renato Mendonça faz a mentoria dos ambientes apresentados no programa Foto: Kelly Fuzaro/Discovery

Antes, a ação ocorria na casa do participante, em um ambiente com alguma dificuldade e com base em um projeto feito por Renato. Agora, os projetos são dos profissionais que, além de contarem com a mentoria de Renato, têm a ajuda de duas pessoas da sua confiança. Lembrando que é uma competição, portanto os ambientes renovados são sempre os mesmos entre os times. 

Inovador no sentido de que é algo feito por e para os profissionais de decoração, ele continua satisfazendo os fãs de reality que prezam pelos resultados de sucesso dos ambientes. “Se você for inseguro na sua vida profissional para apresentar um projeto que ainda é abstrato, que ainda está no fundo das ideias, você não vende isso para o seu cliente e mostra que vai ser um bom resultado”, ensina Renato.