Mudança radical no velho sobrado

Yara Guerchenzon - O Estado de S.Paulo

O designer de interiores Moreno transforma a casa onde morou com os pais na adolescência, na Grande SP

O designer de interiores Moreno é conhecido pelo uso de cores e revestimentos inusitados e objetos retrô que resultam em projetos carregados de personalidade. Na própria casa, não poderia ser diferente. Em cada canto, percebe-se o bom humor do morador, que viveu num sobrado em São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo, ainda adolescente, com os pais, que se mudaram de lá há alguns anos. Como ele gostava do imóvel, resolveu comprá-lo, já pensando em mudança. "Meu escritório funcionava aqui; por isso optei pela reforma para continuar trabalhando sem precisar ir para outro lugar", conta.

As obras levaram seis meses. Todos os cômodos receberam novos revestimentos. A casa tinha três dormitórios no andar superior - dois voltados para a frente e um para o quintal. Moreno unificou os dois primeiros, criando um escritório maior, e manteve o outro como seu dormitório.

A mudança mais complexa ocorreu no quintal, que foi fechado no nível do forro do andar superior e transformado em lounge (com pé-direito de 6 m) integrado à cozinha. No fundo, onde havia uma edícula, a laje foi mantida e reaproveitada para acomodar a lavanderia, com acesso por uma escada caracol de ferro. Assim, a parte de trás da construção ganhou um espaço de convívio, aumentando de 72 m² para 119 m² a área do térreo (no pavimento superior são 72 m²).

ANOS 70

Com os novos espaços, Moreno partiu para a escolha dos revestimentos, já imaginando uma decoração ousada. "A proposta é uma releitura do que era moda nos anos 70, com preto, cobre e bronze em acabamentos e detalhes", define. Exemplo: a porta pivotante da entrada com laminado preto e detalhe geométrico bronze, o mesmo tom do painel que se estende por uma das paredes do living (de Formiwall, da Formica, a chapa de 3,08 m x 1,25 m custa R$ 532 e a mão de obra da Marcenaria Duo Móbile sai por R$ 250 o m² aplicado). "Na fachada, havia uma janela com caixilho de alumínio e uma porta no canto. Centralizei a nova porta e coloquei panos de vidro nas laterais", conta. "Desenhei 16 versões até decidir por essa."

No fundo da sala fica a escada de mármore que leva ao andar superior. Com estrutura de degraus flutuantes, é o único elemento da construção original. "Como era aberta, fiz um fechamento lateral com espelho, que dá sensação de profundidade", diz. O teto foi rebaixado com gesso para embutir novos pontos de luz, além da sanca com mangueira de luz amarela em uma lateral, para criar efeito cenográfico. No piso, laminado no padrão carvalho (Formipiso, da Formica, em média, R$ 100 o m² aplicado).

Espelhos também se fazem notar nas portas do lavabo e da cozinha. E, na área que compreende a cozinha e o lounge, a parede ao fundo recebeu o mesmo revestimento. No ponto que concentra os eletrodomésticos, a ousadia fica por conta do laminado cobre nas paredes em contraste com prateleiras pretas e zebrawood, e com o piso de cerâmica branca (modelo similar da Cerâmica Porto Ferreira, medindo 42 cm x 42 cm, por R$ 29,90 o m² no site da C&C).

No lounge, o destaque é a mesa de jantar com laminado no padrão zebrawood, desenhada pelo decorador e servida por cadeiras de polipropileno (na Desmobilia, por R$ 298 cada uma). Como um painel, o móvel se prolonga parede acima, dando ainda mais amplitude. Para arrematar esse e os demais ambientes do sobrado, Moreno elegeu objetos inusitados, como brinquedos antigos, pinguins e bonecas japonesas, além de estampas de caveira - caso de uma obra de metal de Magoo Felix (da Galeria Choque Cultural), em uma parede do living, onde também está a tela de Flavio Rossi, com uma caricatura da atriz Sharon Stone.