Milão vira vitrine na semana de design

Marcelo Lima - O Estado de S.Paulo

Ao longo de uma semana, a cidade se converte em desfile de estrelas, da consagrada (Philippe Starck) à em ascensão (Giulio Iacchetti)

Termômetro das marcas e tendências em ascensão no mercado internacional, Milão se converte, ao longo de uma semana, em uma imensa vitrine também para designers - profissionais, que, trabalhando ou não na Itália, para lá se dirigem e tomam parte dos lançamentos e festas que agitam a metrópole. Hora de ver e ser visto. Além de Rho-Pero, sede da mostra principal, showrooms e galerias também foram palco de um longo desfile de estrelas do mundo do design: de nomes consagrados, como o francês Philippe Starck (em raro momento de bom humor) a talentos em ascensão, caso do italiano Giulio Iacchetti. Dona de um traço pessoal e rigoroso, a iraquiana Zaha Hadid, por exemplo, pôde ser vista em pelo menos três desses espaços: na mostra da Estabilished & Sons, na exposição do Palácio de Cristal e ainda na vitrine da Sawaya & Moroni, a vanguardista loja da Via Manzoni, que edita suas coleções na Itália.Legítimo representante da máxima "o verdadeiro design nunca acaba datado", o alemão Ingo Maurer mais uma vez brilhou com uma elaborada instalação no Spazio Krizia, desta vez tendo como ponto central a bem-humorada luminária inspirada no desenho de uma cobra - e que faz alusão a um cantor de rock. Destaques de 2008Festeiro, o egípcio Karim Rashid promoveu a primeira exposição no consagrado espaço da Triennale di Milano. Uma multicolorida instalação com padrões desenvolvidos pelo designer em laminados plásticos - só comparado em dimensão e intensidade à exposição Corian, criada em torno da obra do estilista Missoni, e que contou com a supervisão de dois representantes do clã, os estilistas Luca e Rosita.Com a produção nada comportada e trazendo no currículo a direção artística da Meritalia, o italiano Fabio Novembre também viveu dias de glória. Atual enfant terrible do design italiano, ele inaugurou sua primeira individual aos 42 anos, no espaço da Rotonda della Bessana. No programa, altas doses de experimentalismo.Provavelmente o nome de maior prestígio na cena do design italiano, a espanhola Patricia Urquiola não deixou por menos: além de brilhar na cenografia do estande da Moroso (com uma instalação projetada na medida para abrigar a delicada coleção da empresa), seu nome esteve presente em 9 entre 10 coleções do primeiro time, incluindo, além da própria Moroso, a B&B e a Kartell. Essa última, aliás, acaba de incluir em seu catálogo o nome de Tokujin Yoshioka, designer japonês que, após a fulgurante estréia com a instalação construída em torno da poltrona Panne - e sua continuação, a Panna, para a Moroso -, acaba de atingir o mainstream do design internacional, assinando o primeiro produto para a gigante dos plásticos.Por fim, há de se registrar as sempre bem-sucedidas viagens patrocinadas por Massimo Morozzi, diretor de arte da Edra, no showroom da Via Ciovassino - dessa vez decorado em clima de mil e uma noites, no melhor estilo Milão 2008. Com lugar garantido, claro, para os nossos celebrados representantes, os designers Fernando e Humberto Campana.