Mãos à obra

Marcelo Lima - O Estado de S. Paulo

Conheça o designer Marcelo Caruso que se encarrega pessoalmente da produção de seus móveis

O designer Marcelo Caruso

O designer Marcelo Caruso Foto: Marcelo Caruso

Desde que se formou, o designer Marcelo Caruso tem se empenhado em encontrar um ponto de equilíbrio entre a produção artesanal, lenta e cuidadosa, e a via industrial, mais rápida e padronizada. “Posso dizer que tenho um pouco dos dois universos hoje e estou me esforçando para trabalhar nos dois mundos. Mas, o que mais me interessa, no fim das contas, é o desenho. E, se ele é feito já tendo o método de produção em mente, é certo de que a execução será bem-sucedida”, afirma o designer paulistano, hoje radicado em Curitiba, onde se encarrega de produzir pessoalmente todas as peças que levam sua assinatura. “Não sei se chegará um tempo em que eu precise voltar para São Paulo, mas até agora tenho conseguido articular bem a demanda a partir daqui”, como ele afirmou nesta entrevista ao Casa.

Móveis de metal da coleção Linha, para a Boobam

Móveis de metal da coleção Linha, para a Boobam Foto: Nino Andres

Como funciona seu processo criativo?

Não sigo necessariamente um padrão. Costumo juntar uma série de referências visuais que podem ser um possível gatilho para um novo projeto. Gosto de encontrar relações de formas na natureza, na arquitetura e nos objetos, e sempre procuro usar esse meu impulso inicial como o elemento protagonista no meu desenho. Nunca deixo de refletir sobre a maneira que Sérgio Rodrigues dizia criar suas peças. Sendo um ilustrador, ele criava mais do que móveis, criava personagens. Acredito que nós nos conectamos não diretamente com as formas, mas antes com a sensação que elas nos passam. Trabalho minuciosamente as proporções não pela tentativa de ser minimalista, mas para criar uma conexão emocional das pessoas com o objeto. Por isso, na medida do possível, tento eliminar, ao máximo, qualquer ruído de informação, para que a leitura final seja intuitiva, clara, objetiva. Entre os elogios que costumo receber pelos meus trabalhos, o que mais me agrada é: isso me transmite paz.

Banqueta criada e produzida por Caruso

Banqueta criada e produzida por Caruso Foto: Nino Andres

Você executa suas peças por conta própria?

Tudo o que é relacionado à madeira sou eu que produzo, junto com meu ajudante. Faço questão de manter a produção destas peças bem próximas a mim. Acredito que a execução, tanto quanto o desenho, contribui muito para o processo criativo, podendo abrir novas possibilidades a cada nova experiência.

O que mais lhe atrai na madeira? 

Considero a madeira maciça uma matéria-prima verdadeiramente fascinante. Pensar que todo esse volume de material surgiu, naturalmente, me deixa impressionado. Cada peça nova é uma surpresa. O desenho de seus veios e cores sempre promovem uma experiência incrível. Além disso, a madeira é um material de uma plasticidade sem igual, permitindo que você a trabalhe das mais variadas maneiras, seja com dobras, com cortes, com desgastes. Isso abre possibilidades de desenho quase infinitas. Além disso, indo para um lado mais subjetivo, para muitas pessoas ela traz consigo uma sensação de nostalgia e acolhimento que amplia o vínculo emocional do cliente com o móvel.

A luminária Cogu para a Itens

A luminária Cogu para a Itens Foto: Itens