Lição de casa

Marisa Vieira da Costa - O Estado de S.Paulo

A dona do Espaço Home exibe, na cozinha, o valor da organização

A melhor maneira de lavar, pendurar no varal e passar a roupa; de arrumar a mala, armários e a cama; decorar a mesa, preparar pratos para ocasiões especiais... Até hoje, tarefas assim eram aprendidas com a mãe, a avó ou - vá lá - em cursos de economia doméstica, 99,9% dos quais voltados para mulheres. "Mas os tempos mudaram", enfatiza Gladys França Ruozzi, criadora de uma escola para donas-de-casa, maridos dispostos a dividir o trabalho doméstico, solteiros sem nenhuma habilidade e empregados prontos a aprender mais.         Veja Também:Batatinhas com cream cheeseCheesecake de amora em taça   O Espaço Home, na Vila Mariana, porém, oferece mais do que isso, lembra Gladys, pedagoga de formação, amante das tarefas do lar (e da cozinha) por convicção e mulher organizadíssima, "como toda virginiana que se preze". "Gostava de brincar de escolinha, onde sempre era a professora. Arrumava os cadernos das minhas ?alunas?", conta. Cozinheira de pratos delicados e dona de uma cozinha cujo projeto (e detalhes) escolheu a dedo, Gladys diz que hoje as pessoas gostam mais de ficar em casa e, por isso, descobriram o prazer nos afazeres domésticos. "Criei o Espaço Home depois de muita pesquisa e me considero uma pioneira nesse setor. Nossos cursos são rápidos", informa (o de arrumação de armários custa cerca de R$ 120).Apetrechos importadosEm 2002, Gladys aprendeu massagem terapêutica e foi trabalhar com gestantes no Mammy To Be, em Moema, onde implantou um curso que ensinava da troca de fraldas à maneira correta de amamentar, da elaboração do cardápio após o desmame aos primeiros socorros. Paralelamente, sempre gostou de receber, de fazer trabalhos manuais e de viajar. "Enlouquecia cada vez que via uma coisa legal para casa. Um dia, não consegui encontrar uma fôrma de quiche em São Paulo e percebi que poderia comercializar muito do que via lá fora." Com a ajuda do marido advogado abriu uma empresa que importa peças dos Estados Unidos e Europa. "Trago duas ou três coisas de cada tipo e vendo no Espaço Home", diz ela. Muitas das peças que importa estão no amplo apartamento onde mora há dois anos, na Chácara Klabin. De bandejas vietnamitas (R$ 260 cada uma) a um porta-guardanapos portugueses banhados a ouro (R$ 400 a caixa com 4) e pratos californianos de vidro com borda de platina (R$ 410 cada um). Antes de se mudar, Gladys fez algumas interferências, especialmente na cozinha, que achava"esquisita". "Ganhei 50 centímetros diminuindo a sala e mudei a porta de lugar", conta. O objetivo era abrir espaço para uma ilha, onde instalou cooktop, coifa de inox e vidro (modelo Astra, da Falmec, custa R$ 5.770 sem instalação, na Suxxar) e gaveteiros revestidos de madeira para quebrar o branco do silestone da ilha e da bancada da pia. A cozinha tem projeto da Formaplas, de onde também vieram apetrechos, como o misturador Tech (R$ 790, na Rubinetto) e o dosador de detergente (R$ 195, idem). Como Gladys e o marido apreciam vinhos, o ambiente ganhou adega para 29 garrafas (da GE, R$ 1.799, na Fast Shop). E, para armazenar alimentos, além de armários com portas de vidro, o refrigerador de duas portas (modelo Side by Side Titanium da LG, R$ 6.999, também na Fast Shop). "Aqui, somos seis, contando com as empregadas. Haja comida!", diverte-se.