Lento, fácil e barato

STEVEN KURUTZ - O Estado de S.Paulo

Conceito de jardim do horticultor Felder Rushing inclui mistura de espécies, muita paciência e certa desordem

Numa tarde quente, Felder Rushing, horticultor e apresentador do programa Gestalt do Jardineiro, da Rádio Pública do Mississippi, senta-se numa cadeira feita de pneus de moto. O cortador de grama se faz ouvir na casa do vizinho. Rushing olha seu jardim sem grama e sorri. "Fico tomando sol feito um lagarto velho e gordo enquanto estão todos transpirando, ofegantes", diz.

A mistura de arbustos e flores plantada por Rushing no lugar da grama é um exemplo da maneira como vê jardins, que ele chama de slow gardening - ou jardinagem lenta. O termo empresta o nome do movimento slow food, cujos adeptos acreditam no uso de ingredientes produzidos no local e colhidos de maneira ecologicamente responsável.

Rushing, de 56 anos, há muito defende a dependência das plantas perenes e a aceitação de certo grau de desordem. Em resumo, sua doutrina sugere que os jardineiros relaxem, trabalhem no seu próprio ritmo e não tentem fazer tudo de uma só vez. "As pessoas são capazes de plantar 24 pés de tomate dos quais não poderão cuidar." Para ele, é melhor começar modestamente, com um ou dois vasos. "Vá aumentando o jardim gradualmente, na medida da sua disponibilidade, adquirindo experiência. Não comece com uma área grande, ou você se verá trabalhando a terra feito um lavrador."

Seguir os próprios instintos em vez de regras já estabelecidas é outro dos aspectos dessa filosofia. "As pessoas dizem que rosas precisam ser podadas numa determinada inclinação, acima de uma certa folha. Dizem que é necessário regar a grama uma vez por semana. A verdade é que não é preciso se ater a nada disso enquanto regras absolutas", afirma.

Rushing plantou um jardim na caçamba do seu rodado Ford F-150. E cuida dele como se fosse uma peça publicitária para a divulgação de suas ideias. Seu principal jardim, uma fantasia cheia de folhas que obscurece seu chalé cor de lavanda, reflete sua filosofia de cultivo lento. Plantas como pimenta e alface ficam em vasos, e não no solo, para facilitar seu cultivo (nada de se agachar) e aumentar a versatilidade (nem todos têm canteiros em casa). E apesar de ele e a mulher, Terryl, gostarem da ideia de cultivar o próprio alimento, no jardim deles não há batatas, porque é menos trabalhoso e mais barato comprá-las no supermercado.

Ele economiza dinheiro no fertilizante ao empregar a compostagem, mas não se guia pelos complexos princípios científicos expostos nos livros que tratam da questão. "Sigo duas regras: pare de jogar tudo fora e reúna todo o lixo orgânico no mesmo lugar."

METODOLOGIA NO CAOS

À primeira vista, o jardim de Rushing parece uma confusão de materiais reaproveitados e penduricalhos de sucata. Há várias árvores adornadas com garrafas de vidro e vigas enferrujadas metidas no chão, e o espaço é limitado por uma cerca de zinco. Ainda assim, há metodologia no seu trabalho. Por exemplo, para decidir como preencher o espaço ao redor de uma instalação artística composta por três círculos de vidro, ele e Rick Griffin, paisagista que o ajuda a projetar jardins, tiveram uma longa discussão. Entre tábuas e uma cortina de arame farpado ficaram com a segunda opção. "Penso que é uma ideia poderosa. Uma obra de arte", afirmou Griffin.

Rushing também desenvolveu técnicas de "jardinagem barata", como transformar pneus velhos em canteiros e usar baldes de tinta como vasos. "É fácil de jogar o resto fora e replantar, sem a necessidade de ferramentas pesadas."

Mesmo para quem não tem espaço fora de casa, é possível cultivar alguma coisa - manjericão ou alecrim, por exemplo - numa janela ensolarada. "Isto já basta para transmitir aquela sensação de estar ligado à terra." Para os iniciantes na jardinagem, Rushing sugere que se comece com plantas pequenas que produzem muito num espaço pequeno durante bastante tempo. "Morangos são sexy, mas levam o ano todo para crescer e podem sair parecidos com saquinhos de água com açúcar", disse. "Por outro lado, o cultivo da alface é de uma simplicidade constrangedora. Cultivei algumas num canteiro suspenso no ano passado. Bastou uma salpicada de vinagrete e eu nem precisei me abaixar para colhê-las." Para ele, deve-se pensar para além da primavera: "A jardinagem lenta deve lhe dar algo que possa ser apreciado durante os 12 meses do ano".