Legítimo herdeiro do design italiano

Marcelo Lima - O Estado de S.Paulo

Ferruccio Laviani comenta sua trajetória e os lançamentos para a próxima Semana de Design de Milão

O estande Kartell no Salão do Móvel de Milão 2017 expondo pendentes de plástico, criados por Laviani, que também assina o projeto do espaço expositivo. 

O estande Kartell no Salão do Móvel de Milão 2017 expondo pendentes de plástico, criados por Laviani, que também assina o projeto do espaço expositivo.  Foto: Kartell

Natural de Cremona, na região da Lombardia, no norte da Itália, Pietro Ferruccio Laviani, atual diretor de arte da Kartell, uma das principais fabricantes de móveis plásticos do mundo, pode ser considerado legítimo herdeiro, por mérito e vocação, da melhor tradição do design italiano. Em quase quatro décadas de trabalho, poucos, senão ele, são capazes de elencar um currículo tão vasto de criações, instalações e vivências partilhadas, lado a lado, com personagens ícones da cena italiana e internacional. Às vésperas de mais uma edição da Semana de Design de Milão, onde, mais uma vez, ele se fará presente com seus projetos de interiores e de produtos, o multimídia designer visitou o Brasil na semana passada, onde proferiu palestra na 17 ª Expo Revestir, e, entre um cafezinho e outro, concedeu esta entrevista ao Casa.

Quais foram seus mestres no design?

Sério, existem tantos que a lista seria muito longa. Mas, por certo, Michele De Lucchi, que foi quem primeiro me deu a oportunidade de trabalhar em um estúdio profissional. Depois, sem dúvida, Achille Castiglioni, por seu trabalho, amizade e projetos que fizemos juntos. Por fim, mais uma vez, para ficar apenas nos essenciais, Ettore Sottsass pelo seu modo de ver as coisas e Alessandro Mendini por sua obra, gentileza, simpatia, cultura e modernidade. Mas, como eu estava dizendo, existem muitos outros, inclusive, do ponto de vista geracional, não tão distantes assim de mim.

Como você vê a cena atual do design no mundo e, em particular, na Itália?

Acredito que, para além dos vários personagens que a caracterizam, aqueles que realmente fazem a cena do design são as empresas produtoras. Em última análise, são elas que tornam os designers atraentes para o público, por meio de suas estruturas de comunicação e distribuição ao redor no mundo. Por outro lado, percebo uma atenção muito maior ao nosso setor do que havia há 15 anos, quando éramos considerados um nicho dentro do segmento do mobiliário. Hoje, podemos dizer que o design é assunto de interesse de todos, embora há ainda muito a fazer, o que, penso eu, só contribui para tornar minha profissão ainda mais empolgante e interessante.

Quais as novidades que você pretende apresentar na Semana de Design de Milão deste ano?

Apesar da minha empolgação, penso que não seria recomendável revelar todas elas aqui(risos) mas, vamos dizer que, quem visitar a Semana de Design de Milão este ano poderá encontrar muitos projetos nos quais, de variadas formas, eu estou envolvido. Entre as novidades, citaria o projeto do novo espaço da fabricante de luminárias Foscarini, no Corso Monforte, um espaço que, além de sua vocação comercial, pretende representar a singularidade da empresa no cenário da iluminação. Para a marca, apresentarei três lâmpadas completamente diferentes: uma de uma simplicidade quase infantil, de uma limpeza formal que traduz toda a sua funcionalidade; outra, mais decorativa, feita de transparências, luzes e cores; e, por fim, uma terceira que foi inspirado na capa de um álbum do Pink Floyd. Além da Foscarini, outro projeto significativo que leva minha assinatura é a exposição “O lado artístico da Kartell” que vai acontecer no Palazzo Reale, vizinho ao Duomo, no coração de Milão. Uma exposição que eu tinha em mente há anos, por meio da qual pretendo mostrar como a própria ideia da Kartell, talvez a mais representativa indústria de móveis plásticos do mundo, foi inicialmente inspirada pela arte para se expressar e modificar e reafirmar sua iconografia e como, ao longo dos anos, alguns de seus produtos se tornaram tão famosos e reconhecíveis, a ponto de inspirarem artistas.

O aparador Evolution, para a Emmemobili 

O aparador Evolution, para a Emmemobili  Foto: Studio Laviani

O designer italiano Pietro Ferruccio Laviani

O designer italiano Pietro Ferruccio Laviani Foto: Studio Laviani