Lâmpadas com filamento exposto ganham destaque na decoração

Ana Beatriz Assam - Especial para o Estado

Nova onda entre arquitetos e designers de interiores transforma a lâmpada em objeto decorativo ao formar uma espécie de desenho dentro do bulbo de vidro

Dar um ar retrô para a decoração é uma tendência que apareceu há pouco tempo

Dar um ar retrô para a decoração é uma tendência que apareceu há pouco tempo Foto: ETNA

Lâmpadas como elementos decorativos. Essa é a nova onda entre arquitetos e designers de interiores. “É uma tendência que apareceu há pouco tempo, que traz um ar meio retrô para a decoração”, afirma o arquiteto Marcelo Rosset. O efeito vintage segundo os profissionais se dá em função do filamento de carbono presente nestes artefatos, semelhantes aos das primeiras lâmpadas criadas por Thomas Edison, no século 19. 

Nas lâmpadas convencionais o filamento é de tungstênio, mais econômico. Mas o carbono está de volta pois, quando aceso, forma uma espécie de desenho dentro do bulbo de vidro. "O filamento é um detalhe forte. Alguns têm desenho, em espiral ou ziguezague, o que por si só já chamam a atenção", explica o arquiteto Neto Porpino. Entre as opções disponíveis no mercado, existem modelos na Etna por valores que vão desde R$ 17,99 a R$ 59,99 e na Lustres Yamamura, de R$ 29 a R $82.

Exatamente por isso, a proposta é usar a peça completamente exposta. Segundo Porpino, não surpreende que novas luminárias foram criadas com essa ideia de que as lâmpadas são o maior destaque. Muitas delas não vêm dentro de cúpula ou têm cúpulas transparentes, de vidro. Em outros casos, elas aparecem em pendentes e arandelas nas quais podem ser valorizadas.

Não surpreende que as luminárias foram criadas para tornar a lâmpada o maior destaque

Não surpreende que as luminárias foram criadas para tornar a lâmpada o maior destaque Foto: ETNA

Mas, pela própria proposta, segundo os especialistas, elas não devem ser usadas para iluminação geral. "Não possuem brilho suficiente para iluminar um ambiente, mesmo no caso de repetição das lâmpadas. Se você quiser trabalhar só com elas na decoração, tem que estar consciente de que vai ser uma luz mais discreta, mais de efeito, com menos iluminação", afirma Rosset. 

Apesar disso, a maior parte das lâmpadas decorativas é dimerizável, ou seja, permitem regular a intensidade de luz, o que possibilita seu uso em diversos tipos de ambientes, bem como a criação de várias cenas, desde uma iluminação mais abrangente, até a penumbra, mais intimista. Seja na sala de jantar, no lavado ou em um simples abajur.